Operadoras vão subir preços de alguns serviços em 2020

  • ECO
  • 10 Dezembro 2019

A Meo e a Nos admitem atualizar os tarifários no próximo ano, enquanto a Nowo e a Vodafone Portugal não têm intenções de o fazer.

A partir de janeiro, as operadoras vão tornar mais caros alguns serviços. Contudo, tal como aconteceu este ano, a atualização de preços não vai acontecer em todos os serviços, nem em todas as empresas. Enquanto a Meo e a Nos admitem aumentar os preços, a Nowo e a Vodafone não planeiam avançar nesse sentido, diz o Jornal de Negócios (acesso pago).

Da parte da Meo, haverá uma “atualização de preços em tarifários/pacotes de mensalidade, com efeitos a 1 de janeiro de 2020, de acordo com o previsto contratualmente”, disse fonte oficial da Altice Portugal àquele jornal. Este aumento será calculado com base no Índice de Preços do Consumidor, publicado anualmente pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), “no valor mínimo de 50 cêntimos, com IVA incluído”.

Para os clientes da Nos, também haverá subidas. Fonte oficial da empresas revelou que no arranque do próximo ano “os preços de alguns serviços serão atualizados, conforme previsto nas condições de serviço, em 1% que corresponde à última taxa de inflação nacional anual publicada pelo INE”.

Já a Nowo garantiu que não vai aumentar preços no próximo ano, uma posição adotada também pela Vodafone Portugal. “Tal como aconteceu no ano passado, não houve aumento generalizado de preços”, disse fonte oficial da operadora liderada por Mário Vaz.

Esta atualização dos preços dos serviços vai acontecer ao fim de dois anos em que os preços se mantiveram praticamente inalterados. Em 2017 e 2018 os tarifários não foram atualizados, depois de em 2016 terem subido duas vezes, na sequência da guerra pelos controlo das televisões em futebol.

Comentários ({{ total }})

Operadoras vão subir preços de alguns serviços em 2020

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião