Bolsas dos EUA abrem mistas à espera do discurso de Jerome Powell

O presidente da Fed irá anunciar esta quarta-feira as conclusões da reunião de dois dias de política monetária, um fator que está a condicionar as negociações nos mercados de capitais.

A sessão arrancou morna em Wall Street, com as principais bolsas dos EUA a seguirem rumos distintos, no dia em que o presidente da Fed vai dar a conhecer as conclusões de mais uma reunião de política monetária. Jerome Powell tem conferência marcada para as 19h00, hora de Lisboa.

O S&P 500 está a valorizar 0,11%, para 3.135,88 pontos, enquanto o tecnológico Nasdaq ganha 0,18%, para 6.631,61 pontos. O industrial Dow Jones segue em sentido inverso, registando uma desvalorização de 0,15%, para 27.839,74 pontos.

A Chevron está em destaque devido a uma queda de 0,72%, para 117,05 dólares. A pressão vendedora instalou-se, depois de ter anunciado que vai assumir uma perda no valor de 10 mil milhões de dólares dos seus ativos no negócio da exploração de gás. A companhia também revelou que tenciona vender alguns desses ativos.

Em sentido inverso, a Netflix está a suportar os ganhos ao somar 1,12%, eliminando perdas registadas na sessão anterior. Os títulos estão a cotar nos 296,6 dólares, depois de se saber que a nova aposta, The Irishman, conquistou 26,4 milhões de espetadores em apenas uma semana.

No mercado das commodities, o ouro avança 0,23%, para 1.467,31 dólares a onça, e o petróleo recua 0,20% em Nova Iorque, para 59,12 dólares o barril.

Os investidores posicionam-se, assim, para um arranque condicionado pela reunião da Fed mais perto do fim da sessão. Mas não se espera que a Fed anuncie qualquer mudança nos juros.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Bolsas dos EUA abrem mistas à espera do discurso de Jerome Powell

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião