França e EUA têm 15 dias para encontrar um compromisso sobre taxa digital

  • Lusa
  • 7 Janeiro 2020

França e Estados Unidos da América comprometem-se a chegar a um compromisso na OCDE sobre os impostos às gigantes tecnológicas nos próximos 15 dias.

O ministro da Economia e Finanças francês, Bruno Le Maire, afirmou esta terça-feira que definiu com o seu homólogo norte-americano, Steve Mnuchin, um prazo de 15 dias para chegar a um compromisso na OCDE sobre a taxa digital.

“Concordámos intensificar os esforços nos próximos dias para tentar encontrar um compromisso sobre a taxa digital no seio da OCDE [Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico]. Estabelecemos um prazo de 15 dias até ao nosso próximo encontro, em finais de janeiro”, disse Le Maire, depois de um contacto telefónico com Mnuchin na segunda-feira.

A administração norte-americana ameaçou em dezembro taxar uma série de produtos franceses em retaliação à imposição pelo governo francês de taxas às grandes multinacionais tecnológicas.

França prometeu recuar nesse imposto se houver um acordo internacional na OCDE, compromisso que o secretário-geral da organização, Angel Gurria, disse publicamente que queria alcançar.

“A taxa francesa não é discriminatória, não se dirige a nenhuma empresa em concreto nem a nenhum país em particular, mas a uma atividade”, defendeu Le Maire, considerando que as sanções norte-americanas não são amistosas e são ilegítimas.

“Se houver sanções norte-americanas a França, vamos levar o caso à Organização Mundial de Comércio e estamos dispostos a responder”, afirmou Le Maire, que falava numa conferência de imprensa conjunta com o comissário europeu do Comércio, Phil Hogan.

O ministro francês reafirmou o seu apoio ao comércio internacional multilateral “fundado em regras de reciprocidade”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

França e EUA têm 15 dias para encontrar um compromisso sobre taxa digital

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião