Aumento da Função Pública vai ser superior a 0,3%

  • ECO
  • 11 Janeiro 2020

Valor ainda não está fechado até porque ainda decorrem negociações com os sindicatos da Função Pública. Mas aumento dificilmente acompanhará a taxa de inflação prevista de 1%.

O aumento dos funcionários públicos este ano afinal vai ser mais de 0,3%, avança o Público (acesso condicionado) este sábado. O valor estava inscrito na proposta de Orçamento do Estado que foi aprovada esta sexta-feira na generalidade, mas o Executivo, no âmbito das negociações com os partidos da esquerda para viabilizar o documento comprometeu-se em valorizar mais os salários dos trabalhadores do Estado.

O valor ainda não está fechado até porque ainda estão a decorrer negociações com os sindicatos da Função Pública. No entanto, o Público avança que dificilmente a valorização dos salários acompanhará a taxa de inflação prevista no Orçamento do Estado (1%), até porque o objetivo do Governo é não ter de alterar o Orçamento do Estado que apresenta um folga que permitirá acomodar este aumento.

Esta cedência, que foi fundamental para garantir a abstenção do PCP na generalidade, terá de ser conjugada com o aumento extraordinário das pensões negociado também à esquerda e com as outras medidas anunciadas pelo Bloco de Esquerda. Mas, tendo em conta que o Governo não quer mudar o documento, isso reduz as pretensões do Bloco de conseguir que o aumento das pensões em dez e seis euros, de acordo com os valores das reformas, seja atribuído desde o início do ano (Março) e não só a partir de agosto, tal como aconteceu em 2017 e 2018.

Esta negociação terá de ficar fechada a tempo da votação do Orçamento do Estado na especialidade, agendada para 7 de fevereiro.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Aumento da Função Pública vai ser superior a 0,3%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião