Maioria dos portugueses defende aprovação do OE. PAN supera CDS

  • Lusa
  • 11 Janeiro 2020

Uma maioria de 69% dos portugueses entende que o parlamento deve aprovar Orçamento de Estado para 2020. Sondagem coloca ainda o PAN à frente do CDS no que toca a preferências partidárias.

Uma maioria de 69% dos portugueses entende que o parlamento deve aprovar Orçamento de Estado para 2020 e 11% defende o seu chumbo, segundo um estudo da Eurosondagem para o jornal Sol e o Porto Canal divulgado este sábado.

Sobre o que deverá fazer a Assembleia da República face à proposta orçamental, 20% afirma ter dúvidas ou não responde à questão.

A maioria dos inquiridos manifesta-se contra a subida do IVA nas touradas, embora a uma curta distância dos que estão a favor. À questão se o IVA das touradas deve aumentar, 33% considera que sim, 37,3% que não e 29,8% tem dúvidas ou não responde.

Quanto às preferências partidárias, o estudo da Eurosondagem dá um resultado semelhante ao das legislativas de 06 de outubro de 2019, embora o PAN ultrapasse o CDS por uma décima de ponto percentual.

O PS surge na frente (37,2%), seguido do PSD (26,5%), BE (9,6%), CDU (6,6%), PAN (3,6%), CDS (3,5%), Chega (2,2%), Iniciativa Liberal (1,3%) e Livre (0,6%).

Em termos de popularidade, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, lidera com 65% (72% positivo e 7% negativo), seguido pelo primeiro-ministro, António Costa, 35,8% (57,8% – 22%). O líder do PSD, Rui Rio, tem 8,7% (42,1% – 33,4%).

Com nota negativa surge apenas a presidente demissionária do CDS, Assunção Cristas, (-2%), e os deputados únicos do Chega, André Ventura, (- 13,1%), Iniciativa Liberal, João Cotrim de Figueiredo, (-12%), e do Livre, Joacine Katar Moreira, (-26,9%).

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Maioria dos portugueses defende aprovação do OE. PAN supera CDS

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião