Wall Street em alta com investidores à espera de assinatura de acordo comercial

Bolsas norte-americanas estão em em alta com os investidores a aguardarem pela assinatura de um acordo comercial entre a China e os EUA.

As bolsas norte-americanas estão em alta, depois de uma semana marcada pelas tensões no Médio Oriente. Os investidores estão expectantes quanto à assinatura de um acordo comercial entre a China e os Estados Unidos, que deverá acontecer esta quarta-feira. Além disso, os mercados estão atentos ao arranque da temporada de apresentação de resultados.

A redução das tensões no Médio Oriente e os sinais de que um acordo comercial entre as duas maiores economias do mundo poderá vir a ser alcançado estão a manter Wall Street em alta. “Para além de não se conhecerem os detalhes exatos, há alguma preocupação com os termos deste acordo”, alerta Randy Frederick, vice-presidente de negociações da Charles Schwab, citado pela Reuters (conteúdo em inglês).

“A parte complicada é que não vamos saber nada até quarta-feira, mas as expectativas não são suficientes para os mercados caírem“, continua o especialista, referindo que “ainda se está, claramente, num contexto positivo de mercado”.

O S&P 500 está, assim, a somar 0,21% para 3.272,36 pontos, acompanhado pelo tecnológico Nasdaq que valoriza 0,36% para 9.211,94 pontos. Ao mesmo tempo, o industrial Dow Jones avança 0,11% para 28.855,58 pontos.

Outro foco dos investidores é o arranque da época de apresentação de resultados, começando pelos bancos. JP Morgan, Morgan Stanley, Goldman Sachs e Wells Fargo arrancam esta terça-feira a divulgação das contas referentes ao quarto trimestre, sendo que os investidores estão otimistas quanto aos números.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Wall Street em alta com investidores à espera de assinatura de acordo comercial

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião