Fundo canadiano Brookfield vai criar 19 residências de estudantes em Portugal e Espanha

Através de uma joint-venture com uma empresa espanhola, o fundo Brookfield vai entrar no mercado das residências de estudantes na Península Ibéria.

São cada vez mais as empresas internacionais a entrarem no mercado português através das residências de estudantes. Vêm de Espanha, Bélgica e até do Canadá. É o caso da Brookfield Asset Management que, através de uma joint venture com a Temprano Capital Partners — já presente em Portugal –, vai dar os primeiros passos neste segmento e criar, em Portugal e Espanha, 19 residências para estudantes.

Através desta “aliança”, o fundo canadiano assumiu o controlo da Temprano, comprometendo-se a celebrar contratos de locação de 25 anos para 19 residências de estudantes em Portugal e Espanha, anunciou a empresa espanhola em comunicado, sem adiantar números concretos para cada país. Além disso, a joint venture garante “opções de compra para adquirir os ativos numa data posterior”, num total superior a 8.000 camas.

Esta parceria vai ainda permitir às afiliadas de ambas as empresas controlarem, através de contratos de locação, três ativos da Temprano: Collegiate Madrid Aravaca (Madrid), Collegiate Marina Real (Valência) e Livensa Living Barcelona Diagonal Alto (Barcelona) — esta última controla uma residência universitária no Porto. Além disso, em transações separadas, as duas empresas acordaram outros projetos que preveem 1.000 camas adicionais, aumentando a capacidade para um total de 9.000 camas.

“A Brookfield é um dos maiores investidores no setor de living na Europa, tendo adquirido e construído plataformas com um total de 60.000 quartos, a operar ou em desenvolvimento por toda a Europa”, diz Alberto Nin, vice-presidente da equipa imobiliária da Brookfield, citado em comunicado. “Estamos entusiasmados com a expansão para o mercado ibérico que, acreditamos, irá continuar a beneficiar de um aumento de procura“.

Do lado da Temprano, esta joint venture também é vista com bons olhos, uma vez que a Brookfield permitirá à empresa espanhola “consolidar e aumentar a sua posição enquanto um dos principais proprietários e promotores de residências para estudantes em Espanha e Portugal“. Embora não sejam conhecidas as cidades em que as novas residências irão nascer, um porta-voz da Temprano levanta um pouco o véu e fala “nas principais cidades universitárias da Península Ibérica”, o que poderá querer dizer Lisboa e Porto, em território nacional.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fundo canadiano Brookfield vai criar 19 residências de estudantes em Portugal e Espanha

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião