“Sinto-me tranquilo”, diz Carlos Tavares ao ECO sobre as buscas no Montepio

O chairman do Banco Montepio sente-se tranquilo com as buscas realizadas pela PJ nas instalações do banco. São factos do passado que "não têm nenhuma implicação na atividade dos clientes", diz.

O Banco Montepio confirmou estar a ser alvo e buscas nas suas instalações pela Polícia Judiciária. Carlos Tavares, chairman do Banco da Associação Montepio sente-se tranquilo e garante que foi informado pela Procuradoria-Geral da República da diligência que diz respeito a factos passados.

Sinto-me tranquilo“, disse Carlos Tavares ao ECO. “A diligência que foi feita é uma diligência relativamente à qual fomos informados pela PGR, que se reporta a operações que envolvem clientes relativas ao período de 2011 a 2014”, frisou o responsável à margem de uma conferencia do Banco Empresas Montepio (BEM) em Aveiro.

Só temos de aguardar este desenvolvimento. Não são factos atuais. Não têm nenhuma implicação na atividade dos clientes do Montepio“, garantiu ainda Carlos Tavares ao ECO.

A PGR explicou em comunicado que “as diligências incidem sobre um conjunto de clientes de instituições financeiras e de entidades suas detentoras, com o propósito de recolha de prova relativamente a operações bancárias realizadas por clientes entre 2011 e 2014, bem como documentação relacionada com estas operações”.

A investigação, explicou fonte da PGR à Lusa, debruça-se sobre o aumento de capital da Caixa Económica do Montepio (Banco Montepio) em 2013, a constituição do capital social do BNI Europa e a origem do dinheiro usado por um grupo de clientes para a aquisição de unidades de participação do fundo, na altura em que a instituição era liderada por Tomás Correia.

“Devemos distinguir essa história notável [de uma instituição com 176 anos de vida], que pretendemos continuar, daquilo que são os acidentes no percurso e até a mediatização indesejada a propósito de determinadas circunstâncias, que não são sequer circunstâncias do presente”, rematou Carlos Tavares na sua intervenção na conferência.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

“Sinto-me tranquilo”, diz Carlos Tavares ao ECO sobre as buscas no Montepio

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião