Facebook desiste de mostrar publicidade no WhatsApp

O Facebook está a estudar outras formas de gerar receitas com o WhatsApp que não passem pelos anúncios. O plano era controverso, mas foi suspenso.

O Facebook suspendeu a intenção de apresentar anúncios no WhatsApp, uma das formas idealizadas pela rede social para monetizar a popular aplicação de mensagens pela qual pagou 22 mil milhões de dólares em 2014.

A notícia foi avançada pelo The Wall Street Journal (acesso pago). O jornal lembra que este controverso plano chegou a levar a que os dois criadores do WhatsApp, Brian Acton e Jan Koum, apresentassem a demissão ao líder do Facebook, Mark Zuckerberg, no final de 2017.

Agora, a empresa estará a estudar outras formas de gerar receitas com o WhatsApp. Entre elas, novas funcionalidades que permitam às empresas usar o aplicativo para comunicar com os clientes.

Apesar de ser usada por mais de 1,5 mil milhões de pessoas em todo o mundo, é a única aplicação do grupo Facebook que não gera receita direta para a empresa, para além dos dados pessoais que recolhe. Depois de adquirir a ferramenta criada em 2009, Mark Zuckerberg decidiu torná-la gratuita. Isto porque o WhatsApp cobrava cerca de um euro por uma licença anual.

De acordo com o jornal, o Facebook já separou a equipa que estava a trabalhar na introdução de publicidade no WhatsApp. Contactada, a empresa não quis comentar.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Facebook desiste de mostrar publicidade no WhatsApp

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião