Ardian, Macquarie e Abertis entre os interessados na Brisa

  • Lusa
  • 20 Janeiro 2020

Os grupos Ardian, Macquarie e Abertis estão entre os interessados para adquirir 80% do capital da Brisa. O negócio pode chegar aos três mil milhões de euros, avança a Bloomberg.

Os grupos Ardian, Macquarie e Abertis estão entre os interessados que avançaram com propostas preliminares à compra de uma posição na Brisa, segundo avançou esta segunda-feira a Bloomberg.

A agência, que cita fontes conhecedoras do processo, referiu que esta operação poderá ser uma das maiores a ocorrer no setor de infraestruturas este ano.

A Bloomberg recorda depois informação que já tinha sido avançada pelo Jornal de Negócios, em outubro, a dar conta de que a Arcus e o grupo José de Mello debateram a venda de perto de 80% da concessionária rodoviária.

Este negócio, de acordo com a agência, pode chegar aos três mil milhões de euros, sendo que os dois acionistas da Brisa esperam escolher em breve uma lista de pré-qualificados para avançar no negócio, com ofertas vinculativas.

Ainda assim, as fontes contactadas pela Bloomberg avisaram que não há decisões finais nem certeza de que as negociações conduzam a uma transação.

O capital da Brisa está neste momento dividido pela José de Mello, Arcus e Tagus Holding, sendo esta última detida pelos outros dois acionistas.

A francesa Ardian detém a concessionária de autoestradas Ascendi e comprou a portuguesa Frulact.

A Macquarie é uma multinacional australiana com interesses em diversas áreas, incluindo a financeira.

A Abertis é uma concessionária espanhola de infraestruturas.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ardian, Macquarie e Abertis entre os interessados na Brisa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião