Salários até 659 euros isentos de retenção na fonte em 2020

O Governo publicou, esta terça-feira, as novas tabelas de retenção na fonte de IRS, tendo o limite a partir do qual o rendimento é taxado subido para 659 euros.

Os trabalhadores dependentes e pensionistas com rendimentos até 659 euros mensais vão passar a ficar isentos de retenção na fonte, este ano. As tabelas de IRS que irão vigorar em 2020 foram publicadas esta terça-feira em Diário da República e contemplam uma subida desse patamar até ao qual não se aplica qualquer taxa: de 654 euros para 659 euros.

O Ministério das Finanças fez publicar em Diário da República as novas tabelas de retenção de IRS. É com base nessas taxas atualizadas que calculará, ao longo deste ano, o desconto mensal a aplicar aos salários e às pensões.

Este ano, o limite até ao qual não se aplica qualquer taxa de retenção voltou a subir, em linha com a atualização do mínimo de existência; Isto é, à boleia da inflação, o Indexante dos Apoios Sociais (IAS) aumentou para 438,8 euros este ano, puxando o mínimo de existência (1,5 vezes o IAS) para 658,2 euros (mensais). É esse valor que serve agora de guia para a fixação do patamar em causa.

Tradicionalmente, o aumento do salário mínimo nacional também contribuiu para este desenho, mas este ano tal remuneração subiu para o mínimo que já estava em vigor na Função Pública (635 euros), pelo que não deve ter tido grande efeito nas tabelas em questão.

De notar que ao contrário do que aconteceu no último ano, as tabelas de retenção na fonte aplicadas aos rendimentos dos deficientes foi atualizada, refletindo um desagravamento.

(Notícia atualizada às 9h40)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Salários até 659 euros isentos de retenção na fonte em 2020

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião