Portugal não está a prever novo reembolso antecipado à Europa em 2020

  • ECO
  • 22 Janeiro 2020

Após o primeiro pagamento de dívida antes do prazo feito no ano passado, o Tesouro não está a planear novos reembolsos em 2020. Está, no entanto, disponível para ajustamentos.

Portugal não está, neste momento, a preparar nenhum reembolso antecipado de dívida aos credores europeus, em 2020, segundo explicou a presidente da Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública – IGCP, Cristina Casalinho, em declarações ao Jornal de Negócios (acesso pago).

“Neste momento, essa possibilidade [um reembolso antecipado da dívida emprestada pela troika] não está prevista”, afirmou Cristina Casalinho, ao Negócios. Sublinhou, no entanto, que os planos poderão mudar pois há “flexibilidade” para “ajustamentos que se venham a revelar necessários” face às “necessidades de financiamento ao longo do ano”.

Ao longo de 2017 e 2018, Portugal reembolsou de forma antecipada o total da dívida ao Fundo Monetário Internacional e, no ano passado, fez o primeiro pagamento aos credores europeus. O país pagou dois mil milhões de euros ao Fundo Europeu de Estabilização Financeira (FEEF), venciam apenas em 2025 e 2026.

O resgate financeiro de 78 mil milhões de euros a Portugal veio de várias fontes diferentes e cada um estabeleceu as suas condições. Além dos 26,3 mil milhões do FMI, o país deve ainda 25,3 mil milhões ao FEEF e outros 24,3 mil milhões ao Mecanismo Europeu de Estabilidade.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Portugal não está a prever novo reembolso antecipado à Europa em 2020

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião