Transtejo lança concurso para comprar dez navios elétricos

  • Lusa
  • 28 Janeiro 2020

A entrega das novas embarcações “100% elétricas” deverá acontecer “entre 2022 e 2024”. Concurso cancelado em dezembro previa a chegada dos novos equipamentos em 2021.

A Transtejo lança esta terça-feira o concurso para a aquisição de dez navios de propulsão elétrica para as ligações fluviais entre a Margem Sul e Lisboa, num investimento de 57 milhões de euros, anunciou a empresa.

“O conselho de administração da Transtejo aprovou hoje [segunda-feira] a abertura do procedimento para o fornecimento de dez navios de propulsão elétrica, por concurso público com publicidade internacional”, avançou a empresa, em comunicado.

De acordo com a mesma nota, o concurso será lançado na terça-feira, mediante a publicação dos anúncios em Diário da República e no Jornal Oficial da União Europeia.

Já a entrega das novas embarcações “100% elétricas” deverá acontecer “entre 2022 e 2024”, acrescentou.

“A solução alternativa articula-se com a estratégia nacional para as alterações climáticas e com os objetivos fixados para as metas de descarbonização da sociedade”, explicou.

Trata-se de um investimento na ordem dos 57 milhões de euros, que, segundo a Transtejo, se deve à necessidade de “concretizar o processo de renovação da frota”, que se mantém inalterada após “a extinção do anterior procedimento concursal”.

Em fevereiro de 2019 foi publicada em Diário da República uma portaria que autorizava o concurso para a aquisição de dez navios para a Transtejo, num investimento de 90 milhões de euros que previa a chegada de três embarcações já em 2021.

No entanto, este procedimento acabou por ser anulado em dezembro do ano passado, devido à “não demonstração pelos concorrentes do cumprimento dos requisitos de capacidade técnica exigidos”, adiantou o secretário de Estado da Mobilidade, Eduardo Pinheiro ao Jornal de Negócios.

A Transtejo assegura as ligações fluviais entre o Seixal, Montijo, Cacilhas e Trafaria/Porto Brandão a Lisboa.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Transtejo lança concurso para comprar dez navios elétricos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião