“Os vistos gold têm gerado especulação imobiliária”, afirma a ministra da Coesão

Ministra da Coesão considera que a concentração de vistos gold nas grandes áreas metropolitanas estão a causar "grande especulação imobiliária e é necessário canalizar esses vistos para outras zonas".

A ministra da Coesão, Ana Abrunhosa, referiu esta quinta-feira que a concentração de vistos gold nas grandes áreas metropolitanas, como Lisboa e Porto, estão a causar “grande especulação imobiliária” e que “é preciso canaliza-los para outros pontos do território onde continuamos a precisar destes investimentos”.

Ana Abrunhosa defende que é necessário “refletir muito bem” sobre a concentração de vistos gold nas grandes áreas metropolitanas. “Os vistos gold têm gerado especulação imobiliária e tem levado a que as nossas famílias, jovens qualificados não conseguem encontrar uma casa no grande Porto e na grande Lisboa. Isso é que é inaceitável”, explica Ana Abrunhosa, à margem da conferência “Juntos moldamos um futuro urbano sustentável” que decorre esta quinta e sexta-feira na Alfândega do Porto.

Face as assimetrias regionais, Ana Abrunhosa, considera que “a descentralização é absolutamente fundamental para a coesão territorial. “Nós temos assimetrias entre o litoral e o interior e o que temos que fazer é trabalhar todos em conjunto”. Temos que garantir que os serviços fundamentais como a cultura, a saúde e educação existem nestes territórios”, destaca Ana Abrunhosa.

A ministra da Coesão defende que o desenvolvimento urbano sustentável “assume grande importância no novo quadro comunitário e não há coesão territorial sem desenvolvimento sustentável”.

As nossas famílias, jovens qualificados não conseguem encontrar uma casa no grande Porto e na grande Lisboa. Isso é que é inaceitável.

Ana Abrunhosa

Ministra da Coesão

“Quando falamos em desenvolvimento urbano sustentável estamos a falar de problemas de habitação, problemas de mobilidade, de digitalização, alterações climáticas (…) Isto tudo a nível local é muito importante e exige o envolvimento e o compromisso de todos e isso exige uma nova forma de fazer política”, refere Ana Abrunhosa.

Abrunhosa adianta ainda que estão a ser ponderados um volume de investimentos a nível nacional, mas especialmente dedicados ao interior e que “esses investimentos vão ser comunicados em breve”.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

“Os vistos gold têm gerado especulação imobiliária”, afirma a ministra da Coesão

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião