Siza Vieira: É “crítica” a criação de banco de fomento em Portugal

  • Lusa
  • 4 Fevereiro 2020

O ministro da Economia defende a criação de um banco de fomento em Portugal, uma vez que considera que o setor bancário continua a ter problemas no acesso ao crédito por parte das PME.

O ministro da Economia, defendeu esta terça-feira, em Lisboa, que, nos próximos tempos, vai ser “absolutamente critico” o facto de Portugal não ter um banco de fomento, para ajudar a banca a responder às necessidades das empresas.

“Não temos, em Portugal, um banco de fomento e isso passa a ser absolutamente crítico nos próximos tempos”, afirmou Siza Vieira, que falava na conferência “Portugal nos ‘rankings’ internacionais”, organizada pela Associação para o Desenvolvimento da Engenharia, em parceria com a AESE Business School e com o Fórum de Administradores e Gestores de Empresas (FAE).

Para o também ministro de Estado, o setor bancário continua a defrontar-se com problemas no acesso ao crédito por parte das pequenas e médias empresas, devido aos constrangimentos a que a banca está atualmente sujeita.

A banca encontra-se “tão constrangida”, com regras “muito exigentes” ao nível da concessão de crédito, que existe “imensa dificuldade” em fazer com que o crédito chegue às necessidades de investimento das empresas.

“Entendo que o Governo deve capacitar as entidades financeiras publicas para apoiar o sistema bancário a dirigir o crédito para onde ele é preciso”, vincou.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Siza Vieira: É “crítica” a criação de banco de fomento em Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião