Câmara do Porto quer concessionar mobiliário urbano e receber um milhão por ano

  • Lusa
  • 5 Fevereiro 2020

Câmara Municipal do Porto vai lançar um concurso para a concessão do mobiliário urbano e e espera arrecadar “pelo menos um milhão de euros por ano” dessa concessão.

A Câmara Municipal do Porto vai lançar um concurso para a concessão do mobiliário urbano, que inclui a substituição e redução de suportes publicitários, e espera arrecadar “pelo menos um milhão de euros por ano” dessa concessão.

No comunicado enviado, a autarquia explica que a concessão do mobiliário urbano na cidade, dividida por quatro lotes, prevê a redução e substituição de todos os suportes publicitários existentes, mas também o dos abrigos das paragens de autocarros.

O procedimento, que está ainda sujeito a aprovação do executivo municipal na próxima segunda-feira, dia 10, “obrigará que todos os equipamentos existentes na via pública – como mupis, outdoors painéis ou abrigos – sejam substituídos por equipamentos mais modernos, sendo uma percentagem deles em formato digital”.

“Os abrigos de autocarros passarão a estar todos equipados com tecnologias de informação dinâmica ao passageiro, estando prevista a instalação em todos eles de painéis eletrónicos indicativos das carreiras e dos tempos de espera, ajudando desta forma o trajeto de modernização da STCP (…). Os equipamentos ficam também preparados para receber antenas e dispositivos de comunicação sem fios, comportando por exemplo redes públicas de ‘wi-fi”, avança a autarquia.

E acrescenta, “com a nova concessão, será possível limpar de publicidade muitas zonas do Porto”.

De acordo com a o município, a redução dos suportes publicitários “será particularmente notada nos de grandes formatos”, uma vez que está prevista a uniformização destes equipamentos.

Com esta concessão, o município “espera arrecadar pelo menos um milhão de euros por ano”, valor que, segundo o comunicado, resulta das conclusões de um estudo encomendado à Faculdade de Economia da Universidade do Porto (FEP).

“Com as receitas provenientes da concessão, a câmara irá investir noutro tipo de mobiliário urbano que, não sendo passível de exploração comercial, poderá ser adquirido conforme as opções do Pelouro do Urbanismo, Espaço Público e Património, deixando ao presente, mas também aos futuros responsáveis políticos uma maior liberdade em operações de reabilitação do espaço público”, esclarece.

A concurso público internacional vão estar dois lotes de maiores dimensões, cuja duração será de 15 anos, e dois lotes mais pequenos, com uma duração de cinco anos que “permitirão a operadores com menor capacidade financeira concorrer com reais hipóteses de sucesso”, garante a autarquia, adiantando que, nesse sentido, é excluída “a possibilidade do mesmo concessionário ficar com a operação em mais do que um lote, a menos que não haja outros concorrentes”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Câmara do Porto quer concessionar mobiliário urbano e receber um milhão por ano

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião