Administração da Navigator defende redução dos dividendos

  • ECO
  • 12 Fevereiro 2020

Depois de revelar que os lucros caíram 25% em 2019, a administração da Navigator defende uma redução dos dividendos nos próximos anos. A conjuntura é desfavorável ao negócio.

A administração da Navigator considera que a empresa deve reduzir os dividendos a pagar aos acionistas nos próximos anos, num contexto de conjuntura desfavorável ao negócio, que resultou numa quebra de 25% nos lucros da companhia em 2019, para 168,3 milhões de euros.

“É uma decisão dos acionistas. Não é connosco, mas o nosso palpite é que os dividendos não serão mantidos neste nível nos próximos anos”, admitiu o administrador Fernando Araújo, numa conferência telefónica com analistas esta quarta-feira, citado pelo Jornal de Negócios (acesso pago).

O gestor recordou que o resultado líquido no ano passado, conhecido esta terça-feira, foi de 168,3 milhões de euros, pelo que a empresa deve reduzir os dividendos ou, caso contrário, continuará a distribuir também as reservas: “Não podemos distribuir mais do que isso, a não ser que os acionistas entendam distribuir reservas como aconteceu este ano”, apontou.

Nos últimos dois anos, a empresa distribuiu 200 milhões de euros em dividendos. Mas a conjuntura mais desfavorável ao negócio tem tornado a empresa menos lucrativa. A quebra de 25% do resultado líquido em 2019 para um valor ainda mais abaixo dos 200 milhões foi justificada com uma “forte queda dos preços da pasta de papel e redução da procura de pasta e de papel”.

A Navigator é detida em quase 70% pela Semapa, que também detém a cimenteira Secil. A acionista maioritária da papeleira vai apresentar resultados anuais esta quinta-feira.

Comentários ({{ total }})

Administração da Navigator defende redução dos dividendos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião