Fraudes no SNS levam a novo aumento de detenções em 2019

  • ECO
  • 19 Fevereiro 2020

No ano passado, a PJ deteve 11 pessoas e fez 49 buscas. Foram constituídos 101 arguidos. Fraudes no SNS já custaram ao Estado milhões de euros.

A Polícia Judiciária deteve, no ano passado, 11 pessoas, fez 49 buscas e foram constituídos 101 arguidos em processos de fraude contra o Sistema Nacional de Saúde (SNS). O número de detidos e de arguidos voltou a subir no ano passado, sendo que o maior caso aconteceu numa farmácia em Sintra, revela o Diário de Notícias (acesso pago).

O esquema — levado a cabo por cinco pessoas entre os 49 e os 79 anos — passava por descolar vinhetas médicas de receitas já aviadas para as reutilizar em medicamentos comparticipados a 100%. Segundo a estimativa da PJ, a burla terá lesado o Estado em um milhão de euros. Mas este não é caso único. Receitas falsas, revendas de medicamentos, utilização indevida do nome de centenas de utentes ou cheques-dentista já custaram ao Serviço Nacional de Saúde milhões de euros.

O DN aponta ainda que, entre 2010 e 2014, foram realizadas diversas operações de combate à fraude no SNS e abertos vários processos criminais e que, depois disso o número de detenções e buscas diminuiu. Contudo, no ano passado voltou a aumentar. A título de exemplo, jornal aponta que em 2014 foram detidas 21 pessoas e realizadas 140 buscas, ao passo que em 2018 foram detidas apenas duas detenções e realizadas 32 buscas.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fraudes no SNS levam a novo aumento de detenções em 2019

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião