Comissário europeu do Comércio confiante num “mini-acordo” com os EUA

  • ECO
  • 26 Fevereiro 2020

"Com boa vontade política de ambos os lados, podemos chegar a um acordo num curto período de tempo", disse Phil Hogan, depois de os EUA terem suspendido por 30 dias as taxas sobre produtos da Airbus.

O comissário europeu do Comércio, principal negociador da União Europeia (UE), acredita que será possível alcançar um “mini-acordo” com os Estados Unidos “num curto período de tempo”. Em declarações ao Financial Times (acesso condicionado, conteúdo em inglês), Phil Hogan diz que a suspensão das tarifas sobre produtos da Airbus é uma “janela de oportunidade”.

“Eles [Estados Unidos] deram-nos 30 dias de suspensão das tarifas sobre produtos da Airbus, o que nos dará a oportunidade de fazer algum tipo de acordo”, disse o comissário, referindo-se ao facto de Donald Trump ter adiado para 18 de março o início de cobrança dessas tarifas. Para Phil Hogan, isso “é um sinal de que os Estados Unidos estão dispostos a dar uma hipótese” a um acordo.

Assim, o comissário acredita que “com boa vontade política de ambos os lados”, será possível “alcançar um acordo num curto período de tempo”. Nas suas palavras, este acordo poderá envolver esforços para reduzir tarifas sobre produtos industriais, eliminando também obstáculos ao comércio de produtos alimentares. Mas, sublinhou que a UE dá prioridade à “substância em detrimento da velocidade”.

“Não vamos mudar as nossas leis para permitir qualquer redução de padrões”, disse Hogan. “Quero sublinhar que a UE não vai comprometer os padrões alimentares ou ambientais. Digo isto desde o primeiro dia e continuo a repeti-lo”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Comissário europeu do Comércio confiante num “mini-acordo” com os EUA

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião