Governo espanhol abre investigação à Ryanair por publicidade enganosa

Em causa está um anúncio em que a transportadora se publicita como "a companhia mais ecológica da Europa". A Autoridade Reguladora da Publicidade do Reino Unido já ordenou a retirada do anúncio.

O Ministério do Consumo espanhol abriu uma investigação à Ryanair por a companhia irlandesa ter feito alegadamente uma publicidade enganosa. Em causa está um anúncio publicitário em que a transportadora aérea se publicita como “a companhia mais ecológica da Europa”.

A investigação partiu de uma denúncia da Associação de Consumidores Facua que instou o Governo espanhol a investigar a campanha publicitária, sublinhando que a Autoridade Reguladora da Publicidade do Reino Unido ordenou que a empresa retirasse a mesma campanha em 2019 por acreditar que se tratava de uma campanha enganadora quanto às emissões de dióxido de carbono (CO2), aponta o El País (acesso livre, conteúdo em espanhol).

Questionado sobre o assunto, um porta-voz da Ryanair defende que “a média de emissões da empresa é de 66 gramas por passageiro e quilómetro, o que pressupõe uma percentagem significativamente inferior à das outras grandes companhias aéreas europeias“.

Fontes do Ministério do Consumo explicaram ao El País que desde que a tutela liderada por Alberto Garzón abriu a investigação — há cerca de uma semana –, a Direção Geral de Consumo espanhol solicitou à Agência Espanhola de Segurança Aérea (AESA) informações estatísticas relativas às emissões de CO2 das diferentes companhias aéreas que operam em solo espanhol.

Na denúncia feita pela Associação de Consumidores Facua, a associação exige que a Ryanair deixe de utilizar o anúncio e também pede que caso se comprove a falsidade do mesmo, a companhia irlandesa seja alvo de um processo disciplinar.

No seu site, a Ryanair aponta que “é a companhia aérea com as emissões mais baixas da Europa” e justifica-o por ter “uma emissão de CO2 66 gramas por passageiro, valor 23% abaixo da média das quatro maiores companhias aéreas da Europa“. No vídeo de promoção a Ryanair acrescenta que na última década a transportadora conseguiu “reduzir em 18% a emissão de CO2 de 82 para 67 gramas”, o que corresponde a “quase metade em comparação com os níveis de emissão de outras grandes companhias da Europa”.

Segundo o El País, a Autoridade Reguladora da Publicidade do Reino Unido ordenou a retirada do anúncio por considerar que os dados em que a Rynair se baseava eram demasiado antigos e “de pouco valor como fundamento para uma comparação realizada em 2019”, criticando ainda o facto de apenas ter mencionado quatro outras companhias.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Governo espanhol abre investigação à Ryanair por publicidade enganosa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião