Ageas Portugal suspende viagens e recomenda auto-quarentena

  • ECO Seguros
  • 2 Março 2020

A Ageas Portugal suspendeu todas viagens de profissionais de e para áreas com transmissão comunitária ativa do novo coronavírus, recomendando auto-quarentena aos que retornem desses destinos.

O Grupo Ageas Portugal tem estado a tomar medidas para controlar o potencial impacto do Covid-19 junto dos seus colaboradores e familiares, disse fonte da companhia em comunicado.

Quanto aos clientes a seguradora belga segue as orientações da DGS, encaminhando de imediato todos casos suspeitos para os serviços especializados do SNS. Seguindo as recomendações da Direção Geral de Saúde (DGS), “todas as viagens profissionais para e desde áreas com transmissão comunitária ativa, estão suspensas”.

A todos os colaboradores que retornem destes destinos, seja em viagem privada ou de trabalho, o grupo Ageas Portugal “recomenda que permaneçam em regime de ‘auto-quarentena’ por um período de 14 dias desde a data do seu regresso, trabalhando a partir de casa durante este período, havendo condições para tal”.

Além de medidas de higiene e de etiqueta respiratória, tem sido recomendando que sejam evitadas viagens de trabalho, podendo ser utilizadas alternativas de contacto remoto.

Segundo a Ageas Portugal, “as seguradoras estão naturalmente atentas à evolução do COVID-19 e preparadas para prestar as recomendações possíveis aos seus clientes, por referência aos esclarecimentos da DGS e do Serviço Nacional de Saúde (SNS)”.

A Ageas, que detém as marcas Ocidental e Médis, crê que as seguradoras estão a agir em plena conformidade com as orientações definidas pela DGS, nomeadamente impondo também o encaminhamento imediato de todos os casos suspeitos para os serviços especializados do SNS.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ageas Portugal suspende viagens e recomenda auto-quarentena

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião