Morreu o antigo secretário-geral da ONU Perez de Cuellar

  • Lusa
  • 5 Março 2020

Javier Perez de Cuellar, o primeiro latino-americano a ocupar o cargo de secretário-geral da ONU, morreu na noite de quarta-feira aos 100 anos de idade. Faleceu em casa devido a causas naturais.

O antigo secretário-geral das Nações Unidas, Javier Perez de Cuellar, morreu esta quarta-feira aos 100 anos de idade. A notícia foi dada pelo próprio filho.

“O meu pai morreu após uma semana complicada. Morreu às 20h09 (01h09 de quinta-feira em Lisboa) e descansa em paz”, disse o filho Francisco Perez de Cuellar à emissora peruana RPP News.

Javier Perez de Cuellar, antigo secretário-geral da ONU.Wikimedia Commons

O antigo secretário-geral da ONU, que ocupou o cargo até 1991, morreu em casa devido a causas naturais, acrescentou. Javier Pérez de Cuellar, que foi o primeiro latino-americano a ocupar a o cargo de secretário-geral da ONU, completou 100 anos em 19 de janeiro.

O também antigo primeiro-ministro do Peru estava afastado da vida pública há vários anos devido ao delicado estado de saúde. Perez de Cuellar ocupou várias delegações diplomáticas do Peru em todo o mundo, antes de ser eleito secretário-geral da ONU em 1982.

Em 1995 foi candidato à presidência do país Quando Javier Pérez de Cuellar completou 100 anos de idade, o atual secretário-geral da ONU, António Guterres, saudou o diplomata peruano com “orgulho e alegria”. Na carta, Guterres sublinhou ainda que Pérez de Cuellar alcançou os históricos Acordos de Paz de El Salvador e que, ainda hoje, utiliza o exemplo do peruano para se inspirar e guiar no cargo que agora ocupa.

O velório decorrerá esta sexta-feira na sede do Ministério das Relações Exteriores do Peru, antes do enterro com honras de chefe de Estado no cemitério Presbitero Maestro, em Lima, com a presença do Presidente do Peru, Martín Vizcarra.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Morreu o antigo secretário-geral da ONU Perez de Cuellar

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião