Airbnb tem um milhão de dólares para ajudar a construir as casas mais loucas do mundo

O Airbnb lançou um fundo de um milhão de dólares para ajudar a financiar a construção das casas mais fora do comum do planeta. As candidaturas estão abertas até 16 de abril.

Uma casa em forma de sapato, em forma de elefante ou em cima de uma árvore. Os hóspedes procuram cada vez mais casas únicas e foram do comum, por isso, o Airbnb decidiu aumentar a oferta dessas habitações. Para isso, a plataforma lançou um fundo de um milhão de dólares (875.000 euros) para financiar a construção das casas mais diferentes do planeta. As ideias podem ser enviadas até dia 16 de abril e serão escolhidos dez vencedores.

Está dado o tiro de partida para a corrida às casas mais loucas do mundo, diz o Airbnb. Isto porque, diz a empresa, em comunicado, “as pesquisas por espaços inesperados e únicos, como cabanas de pastores, moinhos de vento e minicasas, aumentaram quase 70% em relação ao ano passado”. Algumas destas habitações são autocaravanas, casas na árvore, casas em forma de batata ou de sapato, etc.

The Boot – Fairytale Accommodation, em Nelson, na Nova Zelândia.D.R.

Para dar uma ajuda, a plataforma de reserva de alojamento lançou o Unique, um fundo de um milhão de dólares (875.000 euros) para financiar a construção deste tipo de casas, tornando realidade, quem sabe, o sonho de muitas pessoas. Este fundo vai “permitir que qualquer pessoa com uma ideia de casa extraordinária a conceba e transforme em realidade, partilhando-a com viajantes de todo o mundo”, diz a empresa.

Os interessados devem, assim, enviar as suas ideias — que podem ser de construção de raiz ou reabilitação — para o Airbnb (neste site) que, dentro de alguns dias, escolherá as dez melhores, de acordo com critérios de criatividade, viabilidade, sustentabilidade e bem-estar social. “Procuramos formas incomuns, locais inesperados, conceitos imersivos, espaços com uma história… e pessoas que desafiarão a ideia de uma casa”, lê-se no site do Airbnb.

Os vencedores serão escolhidos por um júri composto por especialistas em inovação de design e estilo, incluindo o ator Billy Porter e Kristie Wolfe, criadora do famoso Hotel Grande Batata em Idaho. As candidaturas já estão abertas e vão decorrer até às 15h59 de 16 de abril.

E para que a inspiração não seja um problema, o Airbnb compilou algumas das casas mais loucas inscritas na plataforma.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Airbnb tem um milhão de dólares para ajudar a construir as casas mais loucas do mundo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião