Presidente da TAP diz que surto do Covid-19 provocou “crise sem paralelo”

  • Lusa
  • 14 Março 2020

TAP completa este sábado 75 anos. "Deveria ser dia de júbilo e festa" mas é, afinal, "um momento de preocupação e incerteza causados pela Covid-19", disse Antonoaldo Neves, presidente da companhia.

O presidente executivo da TAP assinalou este sábado os 75 anos da empresa, aludindo à crise “sem paralelo” causada pela pandemia de Covid-19, afirmando que as consequências negativas na saúde financeira da indústria se repercutirão por muito tempo.

O dia em que se assinalam os 75 anos da TAP “deveria ser de júbilo e festa” mas é, afinal, “um momento de preocupação e incerteza causados pela Covid-19”, pandemia que gerou “uma crise sem paralelo”, afirmou o presidente executivo (CEO) da companhia, Antonoaldo Neves, numa mensagem aos trabalhadores, a que a agência Lusa teve acesso.

Na missiva, Antonoaldo Neves sublinha que, “além das profundas consequências na aviação e no turismo”, o novo coronavírus provocou “a nível global uma crise com forte impacto na saúde dos povos e na sua economia”.

A reprogramação da operação da companhia, face às indicações das autoridades de saúde nacionais e dos países onde opera, tem obrigado todos a um esforço adicional, reconhece o presidente executivo da TAP, considerando a “união de todos” fundamental para vencer as dificuldades e regressar à normalidade.

Porém, alerta para que o desafio que a TAP tem pela frente “é enorme”, pois tão importante como salvaguardar o interesse dos acionistas, públicos ou privados, e dos trabalhadores, a companhia assume-se como “a mais importante empresa nacional” convocada “para defender os interesses de Portugal”.

Antonoaldo Neves afirma estar consciente de que “os sacrifícios não acabam no momento do regresso à normalidade sanitária global” e que “será ainda necessário que haja um regresso aos níveis de procura normais, sem esquecer que as consequências negativas na saúde financeira da indústria se repercutirão por muito tempo”.

Ainda assim, a empresa diz-se empenhada em, logo que possível, retomar o caminho que tem trilhado com “renovação e crescimento da frota, reforço da rede, crescimento do número de destinos (…) e reforço do número de trabalhadores”, visando a melhoria do serviço.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Presidente da TAP diz que surto do Covid-19 provocou “crise sem paralelo”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião