Banco de Portugal aumenta exigências de capital ao Montepio

  • Lusa
  • 17 Março 2020

O regulador aumentou os requisitos de capital ao Banco Montepio para 3,25% em 2020, depois de 3,00% em 2019, informa comunicado enviado à CMVM pelo banco liderado por Pedro Leitão.

O Banco de Portugal aumentou os requisitos de capital ao Banco Montepio para 3,25% em 2020, depois de 3,00% em 2019, de acordo com um comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) pelo banco da Mutualista Montepio.

O atual requisito específico de fundos próprios (Pilar 2) aplicável ao Banco Montepio é de 3,25%”, pode ler-se no comunicado enviado à CMVM pelo banco liderado por Pedro Leitão.

O comunicado detalha que o banco detido pela Associação Mutualista Montepio Geral recebeu “a decisão do Banco de Portugal, enquanto autoridade responsável pela supervisão de base consolidada ao Banco Montepio, relativa ao processo de análise e avaliação designado de ‘Supervisory Review and Evaluation Process” (SREP)”.

Em 14 de março de 2019, a instituição financeira comunicou à CMVM que os requisitos de Pilar 2 eram de 3,00%.

Os requisitos mínimos de capital incluem as componentes de requisitos mínimos (Pilar 1), de requisitos específicos (Pilar 2) e de requisitos combinados de reservas.

O requisito total solicitado atualmente ao Banco Montepio é de 13,938%, dos quais 8% correspondem ao Pilar 1, 3,25% ao Pilar 2 e 2,688% às reservas.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Banco de Portugal aumenta exigências de capital ao Montepio

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião