Taxa de inflação desacelera em fevereiro. Portugal tem a terceira mais baixa

  • Lusa
  • 18 Março 2020

Taxa de inflação anual na zona euro recuou em fevereiro para 1,2%. Portugal regista a terceira taxa mais baixa, contrariamente à Hungria, Polónia e República Checa.

A taxa de inflação anual na zona euro recuou em fevereiro para 1,2% face ao período homólogo, enquanto a da União Europeia (UE) se manteve em 1,6%, com Portugal a registar a terceira mais baixa, divulgou esta quarta-feira o Eurostat.

Os dados divulgados pelo gabinete estatístico da UE, o Eurostat, apontam que, em fevereiro deste ano, a taxa de inflação registada na zona euro foi de 1,2%, percentagem que compara com a de 1,5% no mesmo mês do ano passado e com 1,4% no mês anterior.

Já no conjunto da UE, verificou-se em fevereiro deste ano uma estabilização em 1,6% face ao período homólogo do ano anterior.

Na variação em cadeia, face ao mês anterior deste ano, a taxa de inflação caiu tanto na zona euro, como na UE, após percentagens de 1,4% e de 1,7% verificadas no primeiro mês de 2020.

Portugal foi, em fevereiro deste ano, o terceiro Estado-membro com a taxa mais baixa, ao apresentar uma taxa de inflação de 0,5%, só ultrapassada pela Itália (0,2%) e Grécia (0,4%).

Em sentido inverso, as percentagens mais altas verificaram-se na Hungria (4,4%), Polónia (4,1%) e República Checa (3,7%).

Comparativamente a janeiro deste ano, em fevereiro, a inflação anual caiu em 21 Estados-membros, permaneceu estável num e subiu em cinco.

O Eurostat aponta que, para estes resultados, contribuiu principalmente a inflação na área dos serviços, seguida pelo setor dos alimentos, álcool e tabaco, bens industriais não energéticos e energia.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Taxa de inflação desacelera em fevereiro. Portugal tem a terceira mais baixa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião