Estado de emergência pode determinar restaurantes só com take away, teletrabalho obrigatório e apoio aos idosos

  • ECO
  • 19 Março 2020

O Conselho de Ministros vai analisar as medidas a aplicar, depois de ser decretado o estado de emergência no país. Restrições a algumas atividades e apoio aos idosos estão em cima da mesa.

Foi decretado o estado de emergência em Portugal e o Governo está agora habilitado a tomar medidas. As primeiras serão decididas em Conselho de Ministros esta quinta-feira, sendo que em cima da mesa estará teletrabalho obrigatório, proteção aos idosos e restrições ao funcionamento de atividades comerciais, avança o Expresso (acesso livre).

Será analisado também o encerramento de todas as atividades comerciais que impliquem a presença física dos clientes dentro de espaços, mas será criada uma lista com exceções, que incluirá supermercados, postos de combustível, farmácias e bancos. Os restaurantes e bares poderão ficar abertos, mas em regime take away ou com entregas em casa.

Entre as medidas em discussão está também tornar obrigatório o teletrabalho, para as funções que puderem ser feitas a partir de casa. Os serviços públicos poderão ficar reduzidos ao essencial, mas as instituições culturais, bibliotecas, locais de atividades de lazer, como cinemas e teatros devem encerrar. A redução da lotação dos transportes públicos poderá incluir-se também nas medidas. O Conselho de Ministros avaliará também medidas de apoio aos mais velhos e sem abrigo.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Estado de emergência pode determinar restaurantes só com take away, teletrabalho obrigatório e apoio aos idosos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião