Fabricantes desligam os motores na América. Tesla carrega no “off”

  • Lusa
  • 20 Março 2020

Toyota, Volkswagen, Subaru e Tesla vão suspender temporariamente a sua produção na América do Norte devido ao coronavírus.

As fabricantes automóveis Toyota, Volkswagen, Subaru e Tesla vão suspender temporariamente a sua produção na América do Norte devido aos problemas causados pela propagação da Covid-19.

Estas empresas juntam-se à General Motors e à Ford que anunciaram na quarta-feira a suspensão de produção até o final de março.

A Toyota fechará as suas fábricas nos Estados Unidos, Canadá e México dois dias a partir de 23 de março, para garantir a saúde e a segurança dos seus funcionários e “devido ao declínio antecipado da procura do mercado relacionado ao impacto económico da pandemia de Covid-19”.

A fabricante japonesa afirmou em comunicado que aproveitará a pausa para “limpar completamente” todas as suas fábricas.

Um funcionário da Toyota na fábrica canadiana de Cambridge testou positivo, segundo os meios de comunicação social locais.

A Volkswagen suspenderá a produção por uma semana na fábrica de Chattanooga (Estados Unidos) até 29 de março e irá proceder à limpeza das instalações.

“Também usaremos esse tempo para avaliar futuros planos de produção e os desenvolvimentos do mercado”, explicou o fabricante alemão, adiantando que os seus funcionários continuarão a receber os salários durante a pausa.

A Volkswagen não comunicou o fecho da fábrica na cidade mexicana de Puebla.

A Subaru também fechará a sua fábrica em Indiana (EUA), onde são produzidos os modelos Outback, Ascent e Legacy, por uma semana a partir de 23 de março para limpar as instalações e ajustar a produção à procura.

Já a Tesla, que anunciou na quarta-feira que manteria a produção de veículos na sua fábrica Fremont (Califónia, EUA), embora com apenas parte dos seus funcionários, anunciou hoje que decidiu suspender as operações, igualmente a partir de 23 de março.

A produção da Tesla na fábrica do estado de Nova Iorque também será temporariamente suspensa, mas o fabricante continuará as operações em Nevada (Gigafactory), bem como na rede ‘supercharging’ (carregamento rápido).

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, infetou mais de 235 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 9.800 morreram.

Das pessoas infetadas, mais de 86.600 recuperaram da doença.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se já por 177 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fabricantes desligam os motores na América. Tesla carrega no “off”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião