Fecho de contas no Montepio “preso” por Isabel dos Santos

  • ECO
  • 20 Março 2020

A auditora PwC pede ao Montepio que crie uma provisão adicional para acomodar a dívida de Isabel dos Santos.

Isabel dos Santos obteve um financiamento de quase 80 milhões de euros no grupo Montepio, e agora uma parte dos empréstimos estão em situação de incumprimento ou em reestruturação. A situação está a condicionar o fecho das contas da instituição de 2019, devido a divergências nos critérios de reporte no balanço da exposição à empresária angolana, avança o Público (acesso condicionado).

A auditora PwC pede ao Montepio que crie uma provisão adicional para acomodar a dívida de Isabel dos Santos ao grupo em Portugal, mas também em Angola. Tal exigência implica um reforço de imparidades, que levaria o banco a apresentar prejuízos. O banco poderá também não incluir as provisões e fechar com contas positivas, mas no relatório a auditora inclui um alerta sobre a análise e avisos.

Em causa estão créditos, negociados junto do banco, em Portugal, de mais de 65 milhões de euros, e junto do Finibanco Angola, de 10 milhões de euros. O Montepio contabilizava, no final de fevereiro, 40 milhões de euros de empréstimos à Nova Cimangola, presidida pelo marido da empresária angolana, Sindika Dokolo.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Fecho de contas no Montepio “preso” por Isabel dos Santos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião