Lisboa suspende recolha porta-a-porta de papel e plástico. Ecopontos continuam operacionais

A Câmara Municipal de Lisboa decidiu suspender "temporariamente" a recolha porta-a-porta de papel e plástico, por "motivos do combate à pandemia". Não desmobiliza no cumprimento das metas ambientais.

A Câmara Municipal de Lisboa decidiu suspender temporariamente a recolha de material reciclável porta-a-porta, tal como papel e plástico, por “motivos do combate à pandemia”. A autarquia sublinha, no entanto, que a recolha de resíduos seletivos nos Ecopontos mantém-se.

Num comunicado, o município liderado por Fernando Medina esclarece que continua comprometido com “as metas ambientais mais ambiciosas” e que a suspensão temporária da recolha porta-a-porta de material reciclável “em nada altera esse compromisso”.

Além desta suspensão, também vai parar a “recolha seletiva porta-a-porta de vidro em entidades comerciais”. Já os resíduos indiferenciados passarão a ser recolhidos três vezes por semana, assinala a autarquia.

Quanto aos serviços de recolha a pedido, como de objetos volumosos ou resíduos de construção, também se encontram suspensos. Ao mesmo tempo, os Parques de Apoio à Higiene Urbana, para entrega de resíduos volumosos e/ou específicos “estão encerrados ao público”, informa a CML.

Em contrapartida, mantém-se a recolha seletiva de porta-a-porta de biorresíduos (resíduos alimentares e similares) “nas entidades comerciais e no projeto-piloto doméstico na Alta de Lisboa”, indica, assim como, a recolha resíduos seletivos nos Ecopontos de superfície e subterrâneos.

Perante esta decisão, a autarquia apela para que as famílias que tenham pessoas infetadas (ou sob suspeita) coloquem os resíduos “em sacos de lixo resistentes e descartáveis, com enchimento até 2/3 (dois terços) da sua capacidade”, sendo que estes sacos devem ser colocados “dentro de um segundo saco, também devidamente fechado, e depositados no contentor de resíduos indiferenciados”, conclui.

A medida foi tomada por forma a garantir a proteção da saúde pública dos trabalhadores envolvidos na recolha de lixo. Em Portugal, o número de pessoas infetadas com coronavírus passou para 1.020, segundo os dados divulgados esta sexta-feira pela Direção Geral de Saúde. Até ao momento estão confirmadas seis vítimas mortais, mais três face aos últimos dados avançados.

(Notícia atualizada às 15h34 com mais informação)

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Lisboa suspende recolha porta-a-porta de papel e plástico. Ecopontos continuam operacionais

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião