Covid-9. Galp oferece 29 ventiladores ao SNS, combustível ao INEM e energia às IPSS

A petrolífera mantém a rede de gasolineiras a funcionar e a entrega de garrafas de gás ao domicílio. Quanto à luz e gás natural, garante que não vai cortar o fornecimentos em contexto de pandemia.

Em comunicado, a Galp informou esta sexta-feira que vai disponibilizar 29 ventiladores a hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS). Os primeiros oito ventiladores serão entregues no imediato e os restantes no decurso da próxima semana, e de acordo com as necessidades dos hospitais.

“Em resultado da escassez deste tipo de equipamentos, os ventiladores são de diversas tipologias, mas todos devidamente homologados com a certificação CE, para utilização imediata”, explicou a petrolífera.

Quanto às gasolineiras da marca, a Galp garante que a rede de postos está a funcionar praticamente na totalidade e sem constrangimentos de abastecimento, com incentivo ao pagamento eletrónico nos terminais das bombas ou via Mbway/contactless, sempre que possível. A rede de gás de garrafa (GPL) está igualmente operacional com entrega ao domicílio com reforço da higienização dos colaboradores e da distância de segurança de clientes.

Na luz e gás residencial e para empresas, a Galp garante que “não efetua cortes de fornecimentos em contexto de pandemia. Estamos solidários com os portugueses neste momento difícil que todos atravessamos”.

Além disso, a Galp disponibilizou também com efeitos imediatos acesso a combustível para os veículos do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), incluindo as ambulâncias que transportam doentes infetados, assim como as viaturas das equipas que se têm multiplicado nas deslocações para recolha domiciliária de amostras para análise.

“Ao mesmo tempo que dá resposta a este acréscimo de missões resultantes da pandemia do Covid-19, o INEM continua a assegurar diariamente o funcionamento de serviços essenciais à população, como é o caso da emergência médica pré-hospitalar. Motociclos, ambulâncias, unidades móveis de intervenção psicológica, viaturas médicas, viaturas de intervenção em catástrofe e helicópteros do INEM mantêm a sua operacionalidade, envolvendo centenas de equipas todos os dias, visando assegurar o funcionamento do Sistema Integrado de Emergência Médica e a resposta às vítimas de acidente ou doença súbita”, explicou a empresa no mesmo comunicado.

No pacote de apoios da Galp soma-se ainda a oferta de um mês de consumo de eletricidade e gás natural para um universo de cerca de 500 Instituições Públicas de Solidariedade Social suas clientes, que inclui lares de idosos, centros de dia, casas de repouso e associações de reformados e pensionistas, jardins-de-infância, CERCIs, Santas Casas da Misericórdia, Centros paroquiais ou outros centros sociais. Este apoio energético pode ser ativado no período que a instituição achar adequada, sublinha a Galp.

À data já estão inscritas IPSS que representam mais de 26.000 beneficiários em 14 distritos de Portugal: Aveiro, Beja, Braga, Bragança, Castelo Branco, Coimbra, Évora, Faro, Guarda, Leiria, Lisboa, Portalegre, Porto, Santarém, Setúbal, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu.

A Galp cedeu igualmente o seu espaço publicitário à Direção Geral de Saúde para divulgação das mensagens de prevenção à escala nacional relativas à Covid-19. Nesta cedência incluem-se mupis e outdoors, num total de mais de 2.500 posições da JC Decaux e da Cemark, além de espaços nos canais digitais num conjunto de sites de referência num total de 346.222 impressões. A campanha tem início esta sexta-feira, 20 de março, e decorrerá até 31 de março.

(Notícias atualizada)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Covid-9. Galp oferece 29 ventiladores ao SNS, combustível ao INEM e energia às IPSS

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião