Covid-19: Seguradoras de viagens enfrentam encargo recorde no Reino Unido

  • ECO Seguros
  • 25 Março 2020

Estimativas da associação britânica de seguros apontam para um mínimo de 275 milhões de libras esterlinas em pagamentos no Reino Unido, grande parte por viagens canceladas devido ao coronavírus.

Os desembolsos, na maioria devido a cancelamentos de viagens, mas também em parte por interrupções de itinerários de turistas no estrangeiro, representam cerca de 298 milhões de euros ao câmbio corrente.

“Neste momento sem precedentes, as seguradoras de viagem tentam ajudar a amenizar o golpe financeiro para milhares de clientes cujos planos de viagem foram cancelados ou interrompidos pelo coronavirus“, disse Mark Shepherd, da direção da ABI e responsável para área de apólices de seguros gerais.

A estimativa da Associação de Seguradores Britânicos (ABI na sigla original) corresponde ao dobro do montante de indemnizações pagas em 2019 por cancelamento de viagens e supera largamente o recorde anterior, registado em 2010 (148 milhões de libras).

Os números da associação antecipam um total de 400 mil reclamações relacionadas com novo coronavírus, um volume que compara com 294 mil reclamações registadas (por cancelamentos e interrupções) em todo o ano de 2010.

“Junto com as compensações de fontes como companhias aéreas e fornecedores de cartões de crédito, as seguradoras de viagem estão a ajudar os clientes a superar essas situações difíceis”, acrescentou Shepherd.

Comparativamente, por cancelamentos e interrupções causados pela nuvem de cinzas vulcânicas islandesas em 2010, o setor desembolsou 62 milhões de libras esterlinas.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Covid-19: Seguradoras de viagens enfrentam encargo recorde no Reino Unido

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião