Companhia aérea britânica Flybe entra em liquidação judicial e cessa atividades

  • Lusa
  • 5 Março 2020

Na sequência do novo coronavírus a Flybe cessou todas as atividades com efeito imediato e entrou em liquidação judicial. Companhia aérea britânica emprega mais de duas mil pessoas.

A companhia aérea regional britânica Flybe anunciou esta quinta-feira que cessou todas as atividades com efeito imediato e entrou em liquidação judicial, na sequência do surto do novo coronavírus.

“Todos os voos estão suspensos e as atividades no Reino Unido cessaram com efeito imediato“, anunciou a empresa, que há pouco mais de um mês tinha recebido apoio financeiro do Governo britânico.

“Se você devia voar com a Flybe não vá para o aeroporto, a menos que tenha combinado um voo alternativo com outra companhia aérea. Infelizmente, a Flybe não pode organizar voos alternativos para os passageiros”, de acordo com um comunicado.

Na mesma nota, a companhia aérea regional britânica pediu ainda aos funcionários da empresa e aos credores que entrem em contacto com a administração.

A Fly emprega mais de duas mil pessoas e transporta cerca de oito milhões de passageiros por ano, sobretudo dentro do Reino Unido, mas também para França, Alemanha, Irlanda, Holanda, Suíça, Itália e Luxemburgo.

No ano passado foi resgatada pela Connect Airways, que inclui a empresa Virgin Atlantic e os fundos Stobart e Cyrus, mas no início deste mês voltou a manifestar dificuldades de tesouraria.

Em janeiro, o Governo britânico aceitou adiar o pagamento de 106 milhões de libras (124 milhões de euros) que a Flybe devia em impostos, ao mesmo tempo que os acionistas se comprometeram a injetar mais fundos.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Companhia aérea britânica Flybe entra em liquidação judicial e cessa atividades

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião