Wall Street dispara 6% à boleia do pacote de estímulos

Índice Dow Jones valoriza mais de 20% desde que tocou mínimos no dia 23 de março e está em "bull market". Plano de estímulos de dois biliões dá força a Wall Street.

Wall Sreet encerrou esta quinta-feira em alta, com os principais índices americanos a registarem ganhos de mais de 5%, à boleia do pacote de estímulos no valor de dois biliões de dólares para reanimar a maior economia do mundo.

O índice de referência mundial, o S&P 500, valorizou 6,24% para 2.630,07 pontos. Também o industrial Dow Jones e o tecnológico Nasdaq somaram 6,4% e 5,6%, respetivamente.

No caso do Dow Jones, já valoriza mais de 20% desde que tocou o ponto mais baixo nos últimos seis meses a 23 de março, o que coloca o índice numa situação de “bull market”.

Houve uma notícia na frente económica que marcou o dia pela negativa, mas que não abalou o otimismo dos investidores com o plano de estímulos aprovado no dia anterior pelo Senado americano — o aumento do número de pedidos de subsídio de desemprego na última semana. Esta evolução já reflete o travão na economia provocado pelo surto do Covid-19. Foram solicitados 3,28 milhões subsídios de desemprego na semana terminada a 21 de março, um número recorde, de acordo com os dados avançados pelo Departamento do Trabalho.

“Em menos de duas semanas mudámos de uma situação de pleno emprego para uma situação de destruição de postos de trabalho que nunca tivemos num período de paz”, referiu Christopher Dembik, analista do Saxo Bank, citado pela Reuters.

Esta quinta-feira, o presidente da Reserva Federal americana, Jerome Powell, adiantou que a maior economia do mundo está já em recessão, acrescentando que a reabertura da atividade só deve acontecer depois de o surto do novo coronavírus estar controlado.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Wall Street dispara 6% à boleia do pacote de estímulos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião