Portugal tem 6.408 casos de Covid-19. Número de mortes sobe para 140

O número de casos confirmados de Covid-19 em Portugal subiu para 6.408, enquanto o número de mortes provocadas pelo coronavírus aumentou para 140 até à passada meia-noite.

As autoridades de saúde descobriram 446 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, elevando de 5.962 para 6.408 o número de casos confirmados de Covid-19 em Portugal. Os dados apurados até à meia-noite mostram ainda que morreram mais 21 doentes por causa do vírus, num total de 140 desde o início da pandemia.

O número de infetados aumentou assim 7,5%. Estão 571 pessoas em internamento hospitalar, das quais 164 em unidades de cuidados intensivos, segundo o relatório de informação mais recente da Direção-Geral da Saúde (DGS), sendo que em ambos se registou um aumento face aos últimos dados disponíveis. O número de pessoas recuperadas continua a ser 43.

Há ainda 4.845 pessoas a aguardar resultado laboratorial e 11.482 pessoas sujeitas à vigilância das autoridades. O secretário de Estado da Saúde aponta que houve um “crescimento expressivo” no número de testes realizados, adiantando que no dia 25 março foram processadas mais de 5.100 amostras, em conferência de imprensa.

De acordo com a informação oficial, dos 6.408 casos confirmados, 3.801 situam-se no norte do país, onde se registaram também 74 vítimas mortais, 1.577 na zona de Lisboa e Vale do Tejo, com 30 mortos, 784 no centro (34 mortos), 116 no Algarve com duas vítimas mortais e 45 na zona do Alentejo. No que diz respeito às regiões autónomas, há 44 casos confirmados na Madeira e 41 nos Açores.

A faixa etária onde se concentram mais casos confirmados continua a ser a dos 40-49 anos. O secretário de Estado da Saúde, António Sales, adiantou que estão 853 profissionais de saúde infetados, dos quais 209 são médicos e 177 enfermeiros, sendo que os restantes estão dispersos pelas outras atividades.

Hospitais dedicados só ao coronavírus são uma possibilidade

A diretora-geral da Saúde adiantou que a possibilidade de ter hospitais dedicados apenas ao Covid-19 “faz parte dos planos de contingência”. Ainda assim, aponta que “depende da necessidade”, sendo que, “neste momento não está a ser contemplado, mas pode vir a acontecer”.

“Está em cima da mesa nos planos de contingência, não quer dizer que vá ser ativado”, esclarece Graça Freitas, na conferência de imprensa de ponto de situação. O secretário de Estado da Saúde, António Sales, aponta que, nesta fase, a grande preocupação das autoridades nacionais “é testar, isolar proteger e tratar”.

O secretário de Estado adianta também que a capacidade de ventilação mecânica em Portugal deverá duplicar. Isto porque a capacidade instalada no país é de 1.124 ventiladores, ao que se irá somar um conjunto que chegará à ordem dos mil, através de uma encomenda de 500 ventiladores por parte do Estado, bem como outras disponibilidades, através de instituições.

No que diz respeito aos lares, a diretora-geral da Saúde aponta que vão ser testados os funcionários de lares e utentes que registem algum tipo de suspeita, numa operação que arranca esta segunda-feira. Ainda assim, esclarece que os profissionais dos lares “serão todos gradual e progressivamente testados”.

Será ainda publicada, esta segunda-feira, uma norma com orientações relativamente às grávidas. Uma das medidas será que a população grávida passa a ser um grupo prioritário para testar, mesmo que assintomática, caso tenha tido contacto com um caso confirmado.

(Notícia atualizada às 13h50)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Portugal tem 6.408 casos de Covid-19. Número de mortes sobe para 140

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião