Covid-19: Clubes europeus perdem cerca de um terço no valor dos plantéis, aponta estudo

  • Lusa
  • 30 Março 2020

O estudo incide nos campeonatos de Inglaterra, Espanha, Alemanha, Itália e França e indica que o valor de transferência dos jogadores cairá 28%, caso não se disputem jogos até ao final de junho.

A pandemia da Covid-19, que levou à interrupção da maioria dos campeonatos de futebol, provocou a perda de cerca de um terço no valor dos plantéis das cinco principais ligas europeias, segundo o Observatório do Futebol (CIES).

O estudo realizado pelo CIES incide nos campeonatos de Inglaterra, Espanha, Alemanha, Itália e França, indicando que o valor de transferência dos jogadores cairá perto de 28%, de 32,7 para 23,4 mil milhões de euros (ME), se não se disputarem jogos ou não existirem renovações até ao final de junho.

De acordo com CIES, a maior perda percentual é estimada para o Marselha, treinado pelo português André Villas-Boas, com uma queda de 38% (de cerca de 97 ME), e a menor seria do Brest, com menos 16% do valor antes da pandemia.

Os gigantes FC Barcelona e Real Madrid têm perdas estimadas na ordem dos 366 milhões de euros (-31,3%) e 350 milhões de euros (-31,8%), respetivamente, e o Paris Saint-Germain de 302 milhões de euros (-31,4%).

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 697 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 33.200. Dos casos de infeção, pelo menos 137.900 são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, que está em estado de emergência desde as 00h00 de 19 de março e até às 23h59 de 02 de abril, registaram-se 119 mortes e 5.962 casos de infeções confirmadas, segundo o balanço feito no domingo pela Direção-Geral da Saúde.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Covid-19: Clubes europeus perdem cerca de um terço no valor dos plantéis, aponta estudo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião