Fábrica da Mitsubishi no Tramagal põe os 400 trabalhadores em lay-off

  • Lusa
  • 1 Abril 2020

A Mitsubishi no Tramagal avançou para um lay-off dos 400 trabalhadores da fábrica. Decisão mantém-se em vigor até, pelo menos 19 de abril.

A fábrica da Mitsubishi Fuso Truck Europe (MFTE) em Tramagal, Abrantes, colocou em lay-off os seus cerca de 400 trabalhadores por um período previsível “até dia 19 de abril”, confirmou a agência Lusa junto dos trabalhadores.

“A administração da MFTE entrou hoje [quarta-feira] em lay-off, numa medida que se estende, para já, até dia 19 de abril, tendo a mesma sido discutida com os trabalhadores e que se prende com esta pandemia da Covid-19 e com a falta de matéria-prima para a montagem dos camiões”, disse à Lusa Valter Ferreira, coordenador regional da União de Sindicatos de Santarém.

Segundo o dirigente sindical, “a medida foi anunciada como sendo, para já, até dia 19 de abril, sendo que esta situação se pode prolongar, dependendo do evoluir da situação”, referindo que o regime de lay-off “vai ter como consequência que os trabalhadores tenham direito durante este período apenas a dois terços da remuneração” habitual. “Esta situação exige um esforço de todos a nível nacional, da Segurança Social, do Governo e dos trabalhadores, no sentido de preservar os postos de trabalho e esperemos que no final de tudo isto não tenhamos mais esta perda”, afirmou.

Contactada pela Lusa, a administração da MFTE disse que “a laboração continua suspensa” e confirmou que “avançou para o lay-off simplificado a partir de hoje [quarta-feira] e até haver normalização da situação”.

O lay-off simplificado, que permite a redução temporária do período normal de trabalho ou a suspensão de contrato de trabalho, entrou em vigor na semana passada, sendo uma das medidas excecionais aprovadas pelo Governo para manutenção dos postos de trabalho no âmbito da crise causada pela pandemia de Covid-19. Através do mecanismo lay-off, os salários dos trabalhadores são em parte suportados pelo Estado, evitando que as empresas façam despedimentos.

A fábrica da MFTE já havia suspendido a produção automóvel no dia 23 de março, por duas semanas, medida que se prolongaria até 05 de abril para prevenir a expansão da covid-19. Em comunicado, a empresa instalada no concelho de Abrantes, maior exportadora do distrito do Santarém, faz saber na ocasião que, no seguimento da “decisão do Grupo Daimler de parar a produção na maior parte das suas unidades na Europa, a fábrica portuguesa localizada em Tramagal decidiu suspender toda a atividade produtiva” a partir daquela data.

Por outro lado, podia ler-se na mesma nota, o “encerramento de alguns fornecedores importantes também inviabiliza a continuação do normal funcionamento da cadeia de abastecimento” da MFTE, situação que se manteve até ao dia de hoje.

A fábrica da MFTE em Tramagal é o centro de produção da FUSO na Europa e emprega cerca de 400 trabalhadores diretos, integrando a Daimler Truck, a maior construtora mundial de veículos pesados. Em 2019, fabricou 11.036 veículos Canter, sendo mais de 90% para exportação para o mercado europeu e também para os Estados Unidos, Israel, Turquia e Marrocos. A empresa faturou cerca de 222 milhões de euros em 2019.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fábrica da Mitsubishi no Tramagal põe os 400 trabalhadores em lay-off

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião