França restringe atividade da Amazon a produtos essenciais

  • Lusa
  • 14 Abril 2020

A entrega de produtos não essenciais só poderá ocorrer após uma avaliação dos riscos e de medidas necessárias para proteger a saúde dos trabalhadores.

A justiça francesa ordenou esta terça-feira à Amazon France para restringir a atividade aos produtos essenciais, tendo em conta o resultado de uma avaliação sobre os riscos inerentes à pandemia da Covid-19 nos centros de distribuição.

A decisão foi tomada pelo tribunal judicial de Nanterre, que justificou a medida por a empresa ter “de forma evidente, ignorado a sua obrigação de segurança e prevenção da saúde dos seus trabalhadores”. A restrição tem a validade de um mês e entra quarta-feira em vigor.

Para o tribunal, a Amazon France deve restringir-se “apenas às cadeias de produtos alimentares, de higiene e de medicamentos”, devendo pagar uma multa de um milhão de euros por cada dia de atraso na aplicação da decisão e de infrações constatadas.

A entrega de produtos não essenciais só poderá ocorrer após uma avaliação dos riscos e de medidas necessárias para proteger a saúde dos trabalhadores. A Amazon France deverá obrigatoriamente associar representantes dos trabalhadores na avaliação dos riscos.

A ação judicial foi interposta pela União Sindical Solidária (SUD), o principal sindicato da empresa, que viu, porém, o tribunal negar-lhe o pedido feito com vista à suspensão laboral nos centros de distribuição, onde trabalha uma média de uma centena de funcionários num armazém à porta fechada.

Depois da Itália e da Espanha, a França é o terceiro país da Europa com mais casos de infeção com o novo coronavírus, tendo, segundo os dados oficiais mais recentes, registado 14.967 óbitos entre os mais de 137.000 infetados. O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já provocou mais de 120 mil mortos e infetou mais de 1,9 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

França restringe atividade da Amazon a produtos essenciais

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião