Nunca o Banco de Portugal imprimiu tantas notas. Produziu mais de 100 milhões de notas de 5 euros em 2019

As impressoras do Banco de Portugal tiveram um 2019 recorde na produção de notas: mais de 100 milhões de notas de 5 euros foram fabricadas na Valora. Portugueses têm 96 milhões de euros em... escudos.

O Banco de Portugal registou uma produção de notas de euro recorde no ano passado. As impressoras instaladas na fábrica da Valora produziram mais de 100 milhões de notas em 2019, todas com a denominação de 5 euros. É o equivalente a mais de 500 milhões de euros.

O banco central de Portugal é um dos que, dentro do grupo de bancos centrais que compõem o Eurosistema, têm capacidade para produzir notas de euro. É na fábrica da Valora, situada no Carregado, a cerca de 30 minutos de Lisboa, onde essa produção é feita. Grande parte dessas notas tem, depois, como destino os outros países.

Segundo o Relatório da Emissão Monetária de 2019, divulgado esta terça-feira, o Banco de Portugal foi responsável pela produção de 101,5 milhões de notas de 5 euros no ano passado. Um valor nunca antes registado e que se deveu ao facto de o Banco de Portugal ter passado a fornecer diretamente os bancos centrais da Áustria, da Bélgica e da Irlanda no decorrer de 2019.

“Com esta produção adicional, completada em 2019, a Valora atingiu o maior volume anual de notas produzidas desde a sua fundação“, diz o Banco de Portugal.

Ao longo de 2019, o Banco de Portugal entregou ainda a outros bancos centrais notas de várias denominações: 71,7 milhões de notas de alta denominação (200, 100 e 50 euros) e 96 milhões de notas das restantes denominações (20, 10 e 5 euros). Por seu lado, recebeu 6,5 milhões de cada uma das denominações de 200 euros e 100 euros e, ainda, 48,8 milhões de notas de 20 euros.

Portugueses ainda guardam 96 milhões de euros… em escudos

Com a introdução das notas de euro no dia 1 de janeiro de 2002, os bancos centrais da Zona euro iniciaram a recolha das notas da anterior moeda nacional, no caso português, o escudo.

Embora até final de maio de 2002 tenha sido recolhido 95% do valor total das notas de escudo em circulação em 31 de dezembro de 2001, ainda há muitas notas de escudo nas mãos dos portugueses. “No final do ano, continuavam em posse do público 11,5 milhões de notas de escudo ainda não prescritas, no valor de 95,7 milhões de euros“, destaca o Banco de Portugal.

Deste montante, mais de um terço correspondia a notas de cinco mil escudos (cerca de 25 euros, sem contar com efeito da inflação).

Em 2019, o Banco de Portugal trocou 35 477 notas de escudo de todas as denominações, no valor de 560 mil euros. Comparativamente ao período anterior, trocaram-se menos notas (22% em quantidade, 26% em valor).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Nunca o Banco de Portugal imprimiu tantas notas. Produziu mais de 100 milhões de notas de 5 euros em 2019

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião