Petróleo volta a tocar valores abaixo de zero. Barril está a -5 dólares nos EUA

Cotação do barril chegou a recuperar para valores positivos, mas voltou a cair para menos de zero no mercado norte-americano.

Depois de um forte trambolhão, que atirou as cotações do petróleo para valores negativos, a cotação da matéria-prima voltou novamente a “terreno” positivo durante a madrugada. Com a abertura dos mercados na Europa, a pressão vendedora atira novamente o barril para baixo de zero em Nova Iorque.

O West Texas Intermediate (WTI), negociado nos EUA, chegou a cair até -40 dólares por barril, ou seja, houve investidores a pagarem para não terem de ficar com os barris. Foi um movimento inédito, arrasando o anterior mínimo histórico ligeiramente inferior a 10 dólares por barril.

Após esta queda histórica, espoletada pelo término dos contratos para maio, os mercados acalmaram. Em Nova Iorque, a cotação do barril chegou a transacionar acima de zero, mas rapidamente voltou a afundar. Está a ser negociado a quase 5 dólares negativos, nos -4,43 dólares.

A explicação para estes valores negativos está na fraca procura por causa dos efeitos da pandemia, num contexto de produção elevada, que está a fazer com que a capacidade de armazenamento da matéria-prima seja cada vez mais reduzida.

“O armazenamento está demasiado cheio para os especuladores comparem este contrato e as refinarias estão a trabalhar a baixos níveis porque ainda há a imposição de confinamento em muitos Estados”, explica Phil Flynn, analista do Price Futures Group em Chicago, em declarações à Reuters.

Perante este cenário, o preço do barril de petróleo nos EUA continua sob pressão, apresentando valores bastante aquém dos valores praticados deste lado do Atlântico. De acordo com a Bloomberg, o Brent está a cotar nos 23,94 dólares, registando uma queda de 6,41%.

(Notícia atualizada às 8h20 com o WTI a negociar novamente em valores negativos)

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Petróleo volta a tocar valores abaixo de zero. Barril está a -5 dólares nos EUA

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião