DLA Piper promove 68 sócios no mundo. Gonçalo Castro Ribeiro é o português escolhido

Gonçalo Castro Ribeiro é o mais recente sócio da firma DLA Piper. No total, a firma de advogados promoveu 68 sócios espalhados por 36 escritórios e em 14 países.

A sociedade de advogados DLA Piper promoveu 68 advogados a sócios, em diferentes áreas de prática, de 36 escritórios e em 14 países. Entre os promovidos encontra-se um português: Gonçalo Castro Ribeiro.

O novo sócio da DLA Piper em Portugal integra o departamento de societário e financeiro, estando na firma desde 2017. O advogado possui uma vasta experiência em operações transnacionais de fusão e aquisição e em questões regulamentares envolvendo instituições financeiras, bem como em operações de project finance, prestando principalmente serviços de assessoria a instituições financeiras e a empresas de private equity.

“O nosso pipeline de talento em Portugal é enorme, e o Gonçalo é um desses talentos, com enormes qualidades pessoais e jurídicas, totalmente imbuído dos nossos valores, e que partilha a nossa visão e a nossa estratégia. A nossa prática de financeiro tem crescido de forma muito material nos últimos anos, e o Gonçalo é uma peça essencial do mesmo. Temos um projeto fantástico e ambicioso, e uma estratégia clara, tanto em Portugal como globalmente, e estamos muito felizes e entusiasmados por o Gonçalo o passar a integrar como sócio”, explica Nuno Azevedo Neves, country managing partner do escritório de Lisboa.

Para Gonçalo Castro Ribeiro, esta promoção representa “o reconhecimento do trabalho” que tem desenvolvido e ainda é resultado do “apoio e incentivo” que foi recebendo ao longo dos anos por parte das pessoas.

“É também um ponto de partida para um projeto muitíssimo motivador, em que faço parte de uma estrutura incomparável e de uma extraordinária equipa, que olha de frente os desafios e oportunidades que o mundo atual apresenta e trabalha todos os dias de forma incansável na defesa do direito e dos melhores interesses daqueles por quem advogamos. É, por isto, com enorme entusiasmo que começo esta nova etapa”, assegura o novo sócio.

Entre as áreas de prática globais, societário foi o grupo que registou um maior número de promoções, com 20 novos sócios, seguido de contencioso e regulatório com 15, propriedade intelectual com 10, financeiro e projetos 8, imobiliário 6, fiscal 4, laboral 4 e reestruturações com um novo sócio.

“Estamos muito satisfeitos por anunciar a promoção de 68 novos sócios. Temos um longo canal de talento, e estamos certos que promover as nossas pessoas é fulcral para a implementação dos nossos valores e da nossa estratégia que consiste em prestar o melhor serviço possível aos nossos clientes. Estes novos sócios mostraram-nos que implementar mudança radical e ser um assessor de negócios de confiança é o cerne do nosso compromisso com os nossos clientes, pelo que gostaria de dar os parabéns a todos pelas suas promoções”, nota Simon Levine, global co-CEO da DLA Piper.

“Cada um dos nossos novos sócios demonstrou de forma consistente excecionais capacidades jurídicas e de negócio, bem como um track record de sucesso na assessoria aos nossos clientes em diversas indústrias, fazendo-o de forma colaborativa com os colegas a nível internacional. Temos planos ambiciosos para o futuro e estou ansioso para ver os nossos novos sócios nos seus novos papéis, continuando a construir a nossa prática e fortalecendo os nossos valores. Estou encantado por passarem a integrar a sociedade e espero trabalhar com todos em breve“, refere Jay Rains, global co-CEO e global co-chair da América do Norte e da América do Sul.

As promoções são efetivas a partir de 1 de abril de 2020 nos EUA e a partir de 1 de maio de 2020 nos países EMEA e Ásia Pacífico.

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

DLA Piper promove 68 sócios no mundo. Gonçalo Castro Ribeiro é o português escolhido

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião