Ageas e Keep Warranty seguram voucher que Preserve lançou para negócio afetado pela Covid-19

  • ECO Seguros
  • 5 Maio 2020

O seguro do voucher não tem qualquer custo para o consumidor final. É assegurado pela Ageas Seguros e fica disponível na aplicação da Keep Warranty.

Uma parceria entre a Ageas Seguros e a Keep Warranty criou o mecanismo que permite assegurar o “reembolso ao consumidor final dos valores dos vouchers” que não puderem ser utilizados por motivo de encerramento da empresa responsável, revela um comunicado conjunto.

A Preserve está ativa desde o início de abril e já ajudou mais de mil negócios portugueses, sobretudo estabelecimentos de pequeno comércio local. Qualquer negócio pode inscrever-se para vender vouchers e, no momento em que o consumidor compra, o valor total do voucher é imediatamente entregue ao negócio. Na plataforma podem encontrar-se cafés, restaurantes, cabeleireiros e outras lojas.

A iniciativa das seguradoras abrange os vales (vouchers) adquiridos através da plataforma Preserve, criada para apoiar os negócios afetados pela Covid-19. Depois de comprar o voucher, o cliente só precisa de entrar na app da Keep Warranty com o mesmo e-mail de registo na Preserve e consultar a respetiva apólice.

Os clientes que estavam reticentes na compra dos vales temendo que, face à situação atual, os negócios não reabrissem, “evitam assim que o valor gasto por si corra o risco de ficar totalmente perdido. Esta iniciativa quer incentivar mais consumidores a ajudar os negócios locais e PME a garantirem a sua subsistência, a retomar a sua atividade e a contribuir para a economia nacional”, explica o comunicado.

“A Keep Warranty é, desde a sua génese, uma startup com um “papel ativo no ecossistema português e de proximidade com o consumidor”. Se os tempos já não eram fáceis, com a Covid-19 tornaram-se ainda mais difíceis para todos – negócios e consumidores. Através desta parceria com o Grupo Ageas Portugal e a Preserve, queremos que as pessoas se sintam seguras para ajudar os negócios locais, e com a rapidez que os tempos exigem, criar soluções com impacto positivo”, explica Romana Ibrahim, CEO da Keep Warranty.

Steven Braekeveldt, CEO da Ageas Portugal afirma: “Desde o primeiro momento que o Grupo Ageas Portugal, ciente do seu papel na economia e na sociedade e com a missão de continuar a proteger os portugueses, desenvolveu um conjunto de iniciativas para enfrentar as consequências negativas que advêm da Covid-19. Conhecendo de perto a realidade de alguns negócios locais e da economia nacional, a decisão de celebrar esta parceria e apoiar as PME através da plataforma Preserve foi muito fácil de tomar”.

A Preserve nasceu para ajudar a contrariar as quebras de receita dos negócios locais por todo o país, causadas pelo encerramento de forma a evitar a propagação do Covid-19. O projeto está materializado na plataforma aberta – sem restrições a categorias de comerciantes aderentes – criada por voluntários do movimento #tech4COVID19, um grupo de fundadores da comunidade tecnológica portuguesa e que pretende ajudar a população a ultrapassar os desafios da pandemia.

Sendo um dos muitos projetos da associação techCOVID19, a plataforma que pretende preservar o comércio local já abrange, nesta altura, 1350 locais e vendeu perto de 2800 vouchers, somando um total aproximado de 55,7 mil euros.

 

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ageas e Keep Warranty seguram voucher que Preserve lançou para negócio afetado pela Covid-19

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião