Garrafas de plástico espalmadas e com tampa? Rótulos vão incluir mini tutorial de reciclagem

A Sociedade Ponto Verde criou uma nova família de símbolos que, além de indicarem em que ecoponto deverá ser colocada a embalagem, explicam de forma mais detalhada como reciclar corretamente.

Devo separar o rótulo antes de colocar uma garrafa de vidro no ecoponto? E o que devo fazer à tampa ou à rolha de cortiça? As garrafas de plástico e os pacotes de leite têm de ser espalmados antes de serem colocados nos ecopontos? Estas são apenas algumas das muitas dúvidas que os consumidores têm na hora de separar o lixo lá de casa e encaminhar as embalagens para a reciclagem e respetivos ecopontos.

Mas em vez de terem de ler manuais complicados para aprenderem todas as regras da reciclagem, a partir de agora os consumidores podem olhar apenas para os rótulos das embalagens para saberem o que têm de fazer. Para isso, a Sociedade Ponto Verde (SPV), uma das entidades que gere o sistema integrado de recolha e tratamento de resíduos de embalagens em Portugal, criou e lançou agora uma “nova iconografia de reciclagem que procura levar as marcas a ajudar o consumidor na hora de fazer a separação de resíduos”.

Ou seja, uma nova família de símbolos para serem colocados na rotulagem que, além de indicarem em que ecoponto deverá ser colocada a embalagem (amarelo, verde ou azul), darão também indicações mais precisas e de fácil compreensão, que explicam de forma detalhada como reciclar corretamente.

Deste modo, diz a SPV questões como “devo separar o rótulo antes de colocar a garrafa no ecoponto?” ou “o que devo fazer à tampa?” estarão desde logo respondidas de forma simples e direta em cada embalagem.

Exemplos? Uma embalagem de cereais, composta por uma caixa de cartão e um saco de plástico, vai a partir de agora explicar ao consumidor que deve espalmar a caixa e colocá-la no ecoponto azul, enquanto o saco deverá seguir para o ecoponto amarelo depois de consumido todo o conteúdo.

No caso de uma garrafa de plástico, deve ser esvaziada, espalmada e, com a tampa colocada, colocada no ecoponto. Já as garrafas de vidro também devem ser recicladas com a respetiva tampa. Latas de metal ou pacotes de leite ou sumo terão sempre de ser espalmadas.

“Na SPV tem sido forte a nossa aposta na investigação e inovação para, em conjunto com as marcas, promovermos maior eficiência nos processos de reciclagem. Para tal, um dos nossos focos é: quando a embalagem passa a mensagem, ganhamos todos. Ganha o consumidor, ganham as empresas, ganha o ambiente”, explica Ana Isabel Trigo Morais, CEO da Sociedade Ponto Verde.

“Esta nova iconografia, que disponibilizamos agora para que as marcas possam aplicar nos seus produtos, é a materialização disso mesmo. Ao ajudar o consumidor a perceber melhor os procedimentos de separação de materiais, estamos a introduzir grandes melhorias nas diversas fases da cadeia de gestão de resíduos de embalagem, desde a recolha, triagem e reciclagem. Uma necessidade que se torna especialmente premente quando teremos pela frente grandes desafios para cumprimentos de metas nesta área”, sublinha Ana Isabel Trigo Morais.

Os novos ícones criados pela Sociedade Ponto Verde resultaram das ferramentas de ecodesign desenvolvidas pelo projeto Ponto Verde LAB, cujo foco é o “aumento da reciclabilidade”.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Garrafas de plástico espalmadas e com tampa? Rótulos vão incluir mini tutorial de reciclagem

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião