Reino Unido insta UE a alterar propostas se quiser chegar a um acordo

  • Lusa
  • 19 Maio 2020

Negociador britânico quer que UE altere propostas apresentadas, particularmente em relação ao futuro regime aduaneiro, se 27 Estados-membros quiserem chegar a uma relação pós-Brexit até fim do ano.

O Reino Unido instou esta terça-feira a União Europeia (UE) a alterar as propostas apresentadas, particularmente em relação ao futuro regime aduaneiro, se os 27 Estados-membros quiserem chegar a uma relação pós-Brexit até ao final do ano.

“Espero que nas próximas semanas a União Europeia pense novamente nas suas propostas de uma maneira que permita encontrar um resultado rápido e construtivo”, disse o negociador chefe britânico, David Frost, citado pela agência France-Presse, através de uma carta enviada ao homólogo europeu, Michel Barnier.

A missiva foi enviada cinco dias depois de uma terceira ronda de negociações entre Londres e Bruxelas sem progressos significativos.

Na opinião de Frost – que também é conselheiro do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, para os assuntos europeus – o que está em cima da mesa das negociações “não é uma relação justa de livre comércio entre parceiros económicos próximos, mas um acordo de qualidade relativamente baixa, acompanhado por uma vigilância sem precedentes da União Europeia” das leis e instituições do Reino Unido.

O diplomata britânico acrescenta que a UE, “em vez de tentar concluir rapidamente uma série de acordos de alta qualidade com um parceiro económico próximo, insiste em disposições adicionais, desequilibradas e sem precedentes em toda uma série de campos, como pré-requisito para um acordo”.

As negociações entre Londres e Bruxelas deverão ser retomadas em 01 de junho e qualquer extensão do período previsto para a chegada a um acordo sobre o novo relacionamento Reino Unido – UE, que termina no final de dezembro, deverá ser pedida até 1 de julho.

Contudo, o chefe do Governo britânico – que venceu as eleições legislativas e conseguiu cumprir a promessa eleitoral de alcançar o Brexit até 31 de janeiro – recusou categoricamente as propostas apresentadas, apesar de estar ciente do risco que esta rejeição poderá significar para a economia britânica, por causa da pandemia.

O Reino Unido abandonou oficialmente o bloco de 27 países em 31 de janeiro, mas permanece dentro do espaço económico e regulatório da UE até o final do ano, durante o chamado período de transição.

O acordo de saída entre o Reino Unido e a UE permite que o prazo seja prorrogado por dois anos, mas o governo de Boris Johnson não quer o prolongamento para além de 31 de dezembro.

Resta apenas mais uma ronda, com início a 1 de junho, antes de as duas partes fazerem um balanço, tendo Londres admitido no seu plano abandonar as negociações se não tiver sido feito suficiente progresso.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Reino Unido insta UE a alterar propostas se quiser chegar a um acordo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião