Salários da administração do Novo Banco disparam 75% após entrada do Lone Star

  • ECO
  • 20 Maio 2020

Desde que o fundo americano Lone Star entrou no capital do banco, em 2017, os salários pagos à administração do Novo Banco, liderada por António Ramalho, dispararam 75%.

Desde que o fundo norte-americano Lone Star adquiriu 75% do capital do Novo Banco, em outubro de 2017, os administradores executivos do banco tiveram um aumento de 75% das suas remunerações fixas, segundo revela o Público (acesso pago).

Há três anos, os salários dos seis gestores foram de 1,34 milhões de euros, dos quais 330 mil euros foram auferidos por António Ramalho. Em 2019, com a instituição a continuar a registar prejuízos avultados que levaram a pedir ao Fundo de Resolução quase 3.000 milhões de euros, a equipa de gestão, já com mais três elementos, recebeu 2,345 milhões de euros, com o CEO a receber 400 mil euros.

O jornal lembra que, apesar do crescimento dos salários da administração, há um teto salarial que o banco tem de cumprir até 2022, até finalizar o plano de reestruturação, não podendo ser superior a 10 vezes o salário médio anual dos colaboradores.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Salários da administração do Novo Banco disparam 75% após entrada do Lone Star

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião