DefinedCrowd capta 46,2 milhões de euros em ronda de Série B. Vai lançar novas ofertas com assinaturas

Ronda é a maior de sempre nos Estados Unidos de uma empresa de IA liderada por uma mulher. Financiamento vai servir para lançar novas ofertas com assinaturas e duplicar equipa até final do ano.

Daniela Braga é portuguesa e fundadora da DefinedCrowd.Hugo Amaral/ECO

A DefinedCrowd, fundada pela portuguesa Daniela Braga em Seattle, captou uma ronda de investimento de série B no valor de 46,2 milhões de euros (50,5 milhões de dólares), anunciou a startup em comunicado, esta terça-feira. Trata-se da maior ronda levantada nos Estados Unidos por uma empresa que trabalha na área da inteligência artificial e fundada por uma mulher.

A ronda, que vai servir para “apoiar a visão de DefinedCrowd de criar a interação perfeita entre pessoas e máquinas”, inclui novos investidores como a Semapa Next e a Hermes GPE, e conta ainda com nomes como a Evolution Equity Partners, Kibo Ventures, Portugal Ventures, Bynd Venture Capital, EDP Ventures e IronFire Ventures, que já contavam com participações na empresa. Entre os investidores mais antigos da DefinedCrowd estão ainda o Amazon Alexa Fund, o Sony Innovation Fund e a Mastercard.

A ronda de financiamento vai permitir à DefinedCrowd lançar novas ofertas de assinaturas e dobrar o número de trabalhadores, o que ajudará a startup a perseguir o objetivo traçado pela fundadora: tornar-se a melhor empresa de dados para inteligência artificial do mundo.

“A procura de produtos de inteligência artificial está a crescer exponencialmente em quase todas as indústrias e geografias. Com o nosso talento, recursos, clientes reconhecidos internacionalmente e valiosos investidores estamos bem colocados para alcançarmos o objetivo de nos tornarmos a melhor empresa de dados para IA do mundo”, sublinha Daniela Braga.

“Fechar esta ronda Série B é uma validação do que conquistámos em apenas quatro anos e meio“, refere Daniela Braga, citada em comunicado. “Além de aumentar significativamente a nossa base de clientes das empresas da Fortune 500, também aumentámos as nossas receitas nas contas que já tínhamos, o que prova a nossa proposta de valor (…) Com este financiamento, poderemos continuar com o nosso plano de expansão de três dígitos em 2020, permitindo atender ainda melhor os nossos clientes”, sublinha.

"Com o nosso talento, recursos, clientes reconhecidos internacionalmente e valiosos investidores estamos bem colocados para alcançarmos o objetivo de nos tornarmos a melhor empresa de dados para IA do mundo.”

Daniela Braga

Fundadora e CEO da DefinedCrowd

“A DefinedCrowd mostrou rapidamente que é capaz de resolver o problema mais urgente da IA ​​– a necessidade de acesso contínuo a dados altamente precisos. Isso posicionou a empresa como líder do setor, e estamos entusiasmados por fazer parte dela”, assegura Ricardo Pires, CEO da Semapa Next, o braço de startups da Semapa.

Desde a sua fundação, a DefinedCrowd já levantou 63,6 milhões de dólares em quatro rondas de financiamento e conta com escritórios em Lisboa, Porto e Tóquio, além da sede, em Seattle. No início do ano, a empresa contava com uma equipa de 200 pessoas e, atualmente, chega às 265. Os planos da DefinedCrowd passam por terminar o ano com uma equipa próxima dos 500 trabalhadores.

 

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

DefinedCrowd capta 46,2 milhões de euros em ronda de Série B. Vai lançar novas ofertas com assinaturas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião