Da Somersby à Unilever, conheça os vencedores dos Prémios Sapo

  • ECO
  • 28 Maio 2020

A Somersby com o coletivo Porta dos Fundos venceu os Prémios Sapo na categoria de "anúncio do ano", enquanto a Unilever ganhou o galardão de "anunciante do ano". Conheça todos os vencedores.

Já são conhecidos os vencedores das várias categorias a concurso nos Prémios Sapo, que destacam anualmente “o melhor da publicidade digital nacional”. Entre as mais de três dezenas de galardões atribuídos esta quinta-feira, destacam-se o de campanha do ano, atribuído ao anúncio da Somersby com o coletivo brasileiro Porta dos Fundos.

O Sapo destaca ainda três outras categorias. A Reprise Digital foi considerada a agência criativa do ano, a Initiative venceu na categoria de agência de meios do ano e a Unilever FIMA foi considerada anunciante do ano. Estavam inscritos 135 trabalhos este ano, número reduzido por um primeiro júri, que nomeou 56 campanhas para as diversas categorias.

“Mantendo a já histórica tradição, foi também entregue um donativo no valor de 11.700 euros à Associação Padre Amadeu Pinto, uma instituição no Pragal que apoia jovens e crianças em contextos socioeconómicos desfavorecidos. No total, o Sapo já contabiliza donativos a instituições de solidariedade social no valor de 197 mil euros”, destaca a plataforma num comunicado.

Os vencedores foram atribuídos num evento especial apresentado por João Manzarra e com atuação do músico Dino d’Santiago e do DJ Moullinex. “Os Prémios Sapo são já um marco histórico no universo publicitário nacional. Os galardões atribuídos anualmente elevam o talento nacional e são o reflexo do que melhor se faz em Portugal no online”, considerou Alexandre Fonseca, presidente executivo da Altice Portugal, dona do Sapo, citado na mesma nota.

Conheça a lista completa dos vencedores:

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Da Somersby à Unilever, conheça os vencedores dos Prémios Sapo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião