Presença em praias e jardins está 12% acima dos níveis antes da pandemia

Os dados recolhidos pela Google mostram que a presença de portugueses em sítios como parques, jardins e praias está já 12% acima dos níveis anteriores à pandemia. Desconfinamento já se reflete.

O desconfinamento já está a ter reflexo nos dados da Google para Portugal. Presença em sítios como parques e praias está 12% acima dos níveis pré-Covid.EPA/Anders Wiklund

A presença dos portugueses em sítios como parques, praias, marinas, praças e jardins públicos já está em níveis superiores aos do período anterior à pandemia, revelam dados divulgados pela Google. A última atualização a este relatório, que data de 25 de maio, já reflete o desconfinamento vivido no país, traduzindo a maior confiança dos cidadãos nas deslocações a este tipo de locais.

A Google começou a publicar periodicamente esta informação para mostrar a tendência das deslocações dos portugueses face à pandemia. Os dados não são absolutos e relatam apenas o nível de um determinado dia, comparativamente com uma linha base traçada antes do Covid-19. Contudo, a 25 de maio, as presenças em locais como parques e jardins públicos estava já 12% acima da linha base, ou seja, era mesmo superior aos níveis registados antes da pandemia.

Só há outra categoria de locais que regista níveis superiores aos anteriores à pandemia. Trata-se da componente residencial, as casas, cuja presença estava 19% acima da linha base a 25 de maio. É, contudo, um dado que que não surpreende, na medida em que a generalidade do país foi colocada em confinamento para prevenir o contágio por Covid-19. O gráfico da Google mostra até que a percentagem tem vindo a decrescer.

Nas restantes rubricas, a presença em espaços de recriação, restaurantes, bibliotecas, centros comerciais, parques temáticos e afins continua 40% abaixo dos níveis pré-Covid, enquanto a ida a supermercados, hipermercados, farmácias e outros que tais está 18% abaixo da linha base. Nos dois casos, a tendência é de crescimento.

Já a presença em escritórios e locais associados a trabalho está 41% abaixo da linha base, reflexo do teletrabalho que ainda era obrigatório na data em análise, enquanto as presenças em transportes públicos, estações, metro e outros do mesmo tipo está 55% abaixo dos níveis anteriores à crise pandémica. Desde esta segunda-feira que o teletrabalho passou a ser em regime parcial na generalidade do país, exceto para pais com filhos em casa e para pessoas em grupos de risco.

O relatório da Google tem como fonte de informação os dados anonimizados da localização dos telemóveis com o sistema operativo da marca, o Android, que representa a esmagadora maioria do parque de smartphones. A Google avisa, porém, que a informação serve apenas para indicação das tendências e que não deve ser tida em conta na definição de políticas públicas.

Consulte o relatório da Google na íntegra:

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Presença em praias e jardins está 12% acima dos níveis antes da pandemia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião