Espanha volta atrás. Afinal, fronteiras com Portugal só reabrem a 1 de julho

  • ECO e Lusa
  • 4 Junho 2020

O país só tinha planeado abrir ao turismo estrangeiro a 1 de julho, mas decidiu adiantar a data. Ministro português diz que foram pedidos esclarecimentos ao Governo de Espanha.

A ministra da Indústria, Comércio e Turismo espanhola anunciou esta manhã que o país iria reabrir as fronteiras terrestres com Portugal, bem como com França, a 22 de junho, de acordo com o El Periodico (acesso livre, conteúdo em espanhol). No entanto, Espanha já voltou atrás e afinal as fronteiras não reabrem, pelo menos, até 1 de julho.

Entretanto, o ministro dos Negócios Estrangeiros português tinha-se manifestado surpreendido com o anúncio por Espanha de uma reabertura da fronteira comum a 22 de junho e sublinhou que quem decide sobre a reabertura da fronteira portuguesa “é naturalmente Portugal”.

Depois destas declarações, o Governo espanhol corrigiu as declarações da ministra do Turismo, reiterando que só iriam reabrir a 1 de julho, data já anteriormente planeada para a abertura do país ao turismo estrangeiro, segundo o El Economista (acesso livre, conteúdo em espanhol).

“Fomos surpreendidos com estas declarações da ministra responsável pelo Turismo [de Espanha], que ‘anuncia’ a reabertura da fronteira entre Portugal e Espanha para o próximo dia 22 de junho”, disse Augusto Santos Silva à Lusa, frisando que o anúncio “não se inscreve” no quadro de “cooperação estreita” entre os dois Governos para a gestão da fronteira comum.

“Quem decide sobre a abertura da fronteira portuguesa é naturalmente Portugal e Portugal quer fazê-lo em coordenação estreita com o único Estado com o qual tem uma fronteira terrestre, Espanha”, acrescentou, precisando que já estão a ser pedidos “esclarecimentos ao Governo de Espanha”.

As fronteiras espanholas estão fechadas desde março, como uma das medidas para conter a propagação do novo coronavírus, permitindo apenas a passagem de trabalhadores transfronteiriços e condutores de mercadorias. Esta decisão surge mesmo depois de o Parlamento espanhol decidir prolongar o estado de emergência até 20 de junho.

A ministra Reyes Maroto tinha adiantado que as regiões espanholas poderiam começar a receber turistas a partir de 22 de junho, se o fizerem de acordo com as condições de segurança estabelecidas. Os primeiros a reabrir, com essas condições de segurança, seriam as ilhas Canárias e Baleares.

(Notícia atualizada às 15h30)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Espanha volta atrás. Afinal, fronteiras com Portugal só reabrem a 1 de julho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião