Montepio muda política de prémios a pedido do Banco de Portugal

  • ECO
  • 4 Junho 2020

O Banco de Portugal pediu e o Montepio vai mesmo alterar a política de remunerações, um assunto que será discutido em assembleia-geral, a 30 de junho.

O Banco Montepio vai ajustar a sua política de remunerações a pedido do Banco de Portugal (BdP), numa tentativa de clarificar, sobretudo, a política de remunerações variáveis pagas aos membros da administração e fiscalização, avança o Jornal de Negócios (acesso pago). O assunto será discutido na assembleia-geral de acionistas, marcada para 30 de junho.

Em causa está o tempo de diferimento dos prémios pagos aos gestores. Para o BdP, tem de haver uma maior precisão em torno destes diferimentos. A instituição liderada por Carlos Costa defende que não basta cumprir as normas legais, é também necessário “definir as regras de diferimento com base em fundamentos prudenciais sólidos”.

Ao Negócios, fonte oficial do Banco Montepio confirmou estas alterações, “conforme previsto na referida política”, e com base nas “recomendações sobre as melhores práticas do setor”. A política de remunerações tem de ser aprovada em assembleia-geral de acionistas, sob proposta da comissão de remunerações, nomeações e avaliações.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Montepio muda política de prémios a pedido do Banco de Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião